'Síndrome de Jerusalém' faz 50 turistas sumirem por ano


McAffe desapareceu de bicicleta

Em novembro de 2017, o irlandês Oliver McAfee (foto), 29, saiu em peregrinação de bicicleta pelo deserto de Jerusalém e desapareceu, deixando para trás páginas da Bíblia, relatos sobre o jejum de Jesus e objetos religiosos, além de seus documentos.

As autoridades incluíram McAfee na lista das vítimas da “Síndrome de Jerusalém”, que é responsável pelo desaparecimento de 50 pessoas por ano, em média.


São turistas que, com surto psicótico, saem a esmo.

Em alguns casos, acreditam que são personagens bíblicos.

A síndrome é o resultado da combinação de doenças mentais, forte convicção religiosa e viagem a um lugar tido como santo.

A maioria das vítimas é medicada, antes que tome alguma decisão que comprometa sua integridade.

Esse foi o caso de um ao americano que acreditou ser Sansão, uma figura bíblica com força extraordinária.

A polícia prendeu o americano quando ele tentava mover com as mãos o Muro das Lamentações.

Médicos lhe deram um remédio para esquizofrenia paranoica e o mandaram de volta para casa.

Com informação do The Washington Post e de outras fontes e foto do Facebook.




TVs põem câmeras em monte para transmitir volta de Jesus

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários