No Rio, Conselho de Liberdade Religiosa terá ateu e agnóstico


Intolerância dos evangélicos

O Rio de Janeiro criou o Conselho Estadual de Defesa e Promoção da Liberdade Religiosa, composto por representantes da sociedade civil, entre os quais ateus e agnósticos.

Instituído por um decreto em 2011, somente agora o governo tirou o conselho do papel.


O Conselho terá 32 membros titulares, incluindo representantes de entidades de defesa dos direitos humanos e de instituições religiosas e seculares.

O Conselho substitui o Grupo de Trabalho de Enfrentamento à Intolerância e Discriminação Religiosa para a Promoção dos Direitos Humanos, que não conseguiu deter o avanço da intolerância, principalmente da parte de evangélicos contra seguidores de religiões de matriz africana.

A escolha de ateus e agnósticos para compor o novo órgão significa que, afinal, começa a haver reconhecimento oficial sobre a existência dessa minoria.

Com informação do jornal Extra.




Ateus são o grupo que menos apoia a pena de morte

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários