Universal rebate a acusação de que faz tráfico de crianças


Prédio onde funcionava em
Lisboa o Lar Universal

A Igreja Universal emitiu nota dizendo que a série de reportagem da emissora portuguesa TVI acusando-a de tráfico de criança é “campanha difamatória”.

A nota afirma que a reportagem se baseou em relatos de Alfredo Paulo Filho, ex-bispo que foi expulso da igreja por ter “condutas impróprias”.

Diz que o ex-bispo foi condenado pelos tribunais brasileiros a pagar R$ 1,7 milhão de indenização para a igreja, por danos morais.


“Alfredo Filho tem promovido uma campanha altamente caluniosa e falsa, fazendo tábua rasa do acordo que havia assinado, quer relativo à Universal, quer relativo aos seus bispos, pastores e colaboradores, questionando toda a comunidade da Igreja Universal”, diz a nota.

A Universal afirma que a adoções foram autorizadas pelo Tribunal de Família e Menores de Lisboa.

“Alguns dos agora adultos que foram então adotados já nos contataram e gravarão um depoimento que esclarecerá se foram ou não raptados, e em que condições se encontram.”

O Ministério Público de Portugal abriu inquérito para investigar a denúncia.

Com informação da Igreja Universal e foto da TV1.





Edir Macedo diz que fiel tem de se ‘humilhar’ diante de Deus