TRE-RJ quer impedir influência do crime e de igrejas na eleição


Interferência da religião na política

O presidente do TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro), Carlos Eduardo Fonseca Passos, disse que vai combater o poder de influência do crime organizado e das igrejas nas eleições de 2018.

Afirmou que vai impedir o patrocínio de candidatos por organizações criminosas e religiosas.

O desembargador Passos disse que a política deveria “prevenir ou remediar o mal”, o que, admitiu, não tem ocorrido.

Se o presidente do Tribunal cumprir sua promessa, ele terá muito trabalho, porque as igrejas (principalmente as neopentecostais) estão interferindo cada vez mais nas eleições, para eleger candidatos que defendem seus interesses, não os da República.

Em alguns casos, pastores e criminosos são os mesmos.

Com informação da Agência Brasil.





Fundamentalismo religioso é distúrbio mental, diz cientista