Reino Unido obriga escolas católicas a trocarem ‘pai’ e ‘mãe’ por 'tutores'


Medida protege casais gays de discriminação

Governo do Reino Unido comunicou às escolas católicas que elas, a exemplo das demais, vão ter de eliminar nos formulários dos alunos os termos “pai” e “mãe”, substituindo-os por “tutor 1” e “tutor 2”.

Essa determinação faz parte do Código de Admissão às Escolas do Estado, que também se aplica às escolas confessionais.

O objetivo desse item do código é impedir que progenitores gays, separados, madrastas e padrastos e seus filhos se sintam discriminados.


Após haver reclamações de tutores, o governo “lembrou” a Igreja Católica que o código vale também para seus seus estabelecimentos.

Muitas escolas católicas recebem subsídios públicos.

O CES (Serviço de Educação Católica), vinculado à Conferência Episcopal da Inglaterra e do País de Gales, comunicou aos seus 2.200 estabelecimentos que vão ter de adotar o novo formulário. Dezenas já se adaptaram.

O órgão disse à imprensa que o conceito de gênero ou de paternidade da Igreja continua o mesmo — o núcleo da família é constituído por um homem e uma mulher, pai e mãe.

Isso significa, entre outras coisas, que o festejado papa Francisco não tem conseguido tirar sua Igreja da Idade Média.

Com informação de Religión Digital e outras fontes.




Anúncios de ateus destacam que família não é sinônimo de religião

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.