Católicos belgas criticam artista que crucificou vaca morta


Religiosos se sentiram ofendidos

O artista plástico belga Tom Herck comprou uma vaca morta de 500 quilos, revestiu-a de silicone e a pregou em uma cruz diante de uma piscina de leite, dentro de uma igrejinha abandonada que ele alugou por algum tempo.

Com o nome de “Vaca Sagrada”, a instalação, segundo ele, é um protesto contra o desperdício de alimentos, ao mesmo tempo em que milhões de pessoas passam fome.

Herck disse que a vaca crucificada significa a indústria de alimentos.

Para católicos, trata-se de uma blasfêmia a Jesus.

Eles acharam que a real intenção do artista foi transferir a divindade de Jesus para a vaca.


Se de fato foi isso, o artista com certeza tem a concordância de hindus

Quinze católicos fizeram um protesto na bela igrejinha na cidade de Looz.

Herck esteve presente para conhecê-los.

“Sejam bem-vindos”, disse. “Aqui todos têm o direito de expressar a sua opinião.”

O artista disse que houve católicos que acabaram concordando com a proposta da instalação, mas outros chegaram a dizer que gostariam que ele fosse o crucificado.

Herck comentou que foi considerado bárbaro por ter crucificado uma vaca morta, que poderia ter virado bifes de cristãos.

Argumentou que, se ele tivesse representado um homem apodrecendo na cruz, ninguém reclamaria.

Leite sagrado


Com informação do site do artista, de Le Matin e de outras fontes e fotos e vídeo de divulgação.




Igreja ameaça processar artista de versões divertidas de santa

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.