Entidade evangélica mama em tetas municipais e em federais


Captação de dinheiro
público e de estatais

Uma tal de Abme (Associação Brasileira de Mídias Evangélicas) é mais uma entidade de cunho religioso que tenta tirar proveito de um governo cujo Estado deveria ser laico.

No site da associação, na lista de “campanhas de captação”, há o logotipo do Governo Temer, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Petrobras, entre outras.

A associação mama em tetas federais e também em municipais.

Com sede no Rio de Janeiro, os chupins da Abme costumam usar ambientes públicos para seus eventos, como a Câmara Municipal de Niterói. 


O site deixa claro que se trata de um negócio, do ramo de “desconto”, porque oferece “benefícios” aos associados em seguros, consultas médicas e consultas, viagens, etc.

A associação cobra R$ 150 por adesão de cada pessoa física e de R$ 150 a R$ 450 por pessoa jurídica, de acordo com o faturamento.

Já que é assim, a associação poderia alugar espaço para seus eventos, em vez de usar o plenário de uma Casa de leis.

Todo o mundo tem o direito de montar o seu negócio, mas se valer da religião para usufruir de benesses do Estado laico é caso de esperteza que merece a atenção do Ministério Público.

'Pagamento em nossa conta bancária'





Religiosos não suportam a igualdade do Estado laico

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.