Fórum de Ensino Religioso é contra aula confessional


Decisão mantém a hegemonia católica

O Fonper (Fórum Nacional Permanente de Ensino Religioso) criticou a decisão do Supremo Tribunal Federal de aprovar aulas confessionais de religião nas escolas públicas.

Elcio Cecchetti, coordenador-geral do fórum, disse que, a partir de agora, haverá um caos na programação das aulas.

“Isso pressupõe contratar vários professores de vários credos, alocar diferentes espaços nas escolas, que já não há suficiente.”


O Fonper foi criado em 1995 com o propósito de orientar professores, pesquisadores e sistema de educacionais.

Cecchetti disse que o STF liquidou com o esforço feito por escolas nos últimos anos no sentido de promover o diálogo entre crenças e opiniões.

“Não cabe mais, no contexto atual, da diversidade de crenças que nós temos na sociedade e de avanço na consolidação de uma escola laica plural e inclusiva, legitimar agora o ensino doutrinário ou de uma perspectiva religiosa exclusivista."

Embora, em tese, a decisão do STF beneficie as religiões, representantes de diversas crenças têm manifestado descontentamento porque, segundo eles, a medida beneficia a Igreja Católica, que já detém a hegemonia no ensino religioso facultativo.




Luxemburgo abole o ensino religioso em escolas públicas

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.