Bispos canadenses se opõem à vacinação que previne câncer



Objeções morais à prevenção

Bispos da Igreja Católica do Canadá estão fazendo uma campanha para que os pais não permitam que seus filhos sejam vacinados contra o vírus HPV. 

Eles admitiram que a vacinação previne o câncer (no colo do útero e no pênis ou escroto, principalmente), mas argumentaram que a medicação “encoraja os jovens a terem comportamento sexual promíscuo”.

Alegando “implicações morais”, os bispos da província de Sakatchewan [mapa] enviaram uma carta aos pais de estudantes de escolas católicas com a orientação de que resistam à vacinação obrigatória.

Na província, a vacinação é gratuita pela primeira vez.


Os bispos argumentaram que a “evidência científica apoia a postura ética de que o comportamento sexual responsável — abstinência até o casamento e união fiel monógama — é o caminho mais seguro para a saúde”.

Os médicos estão criticando a orientação dos bispos.

Peter Spafford, por exemplo, disse que a vacina é contra o câncer, não contra o sexo.

A campanha dos bispos só não é mais irresponsável do que a exortação que o papa Bento 16 aos fez em 2009 aos católicos, em visita à África, continente devastado pela Aids, para que não usassem camisinha.




Padre canadense confessa ter abusado de 13 adolescentes

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.