Lara não deixa de usar o véu islâmico, mas ela é ateia


A iraquiana Lara Ahmed, 21, estuda biologia na Universidade de Babilônia, a 185 km ao Sul de Bagdá [mapa].

Cresce número de ateus no mundo muçulmano

Ela sempre está vestida com a sobriedade de uma muçulmana, com o véu religioso.

Trata-se de uma precaução, para ela não correr o risco de violência ou até de ser assassinada.

Lara é ateia em um país onde não acreditar em Alá é considerada pela sociedade como uma desgraça.

Ela chegou ao ateísmo lendo justamente as “palavras de Deus”.

“A história da criação do mundo no Alcorão não me convenceu”, disse.

"Além disso, eu me dei conta de que as religiões são injustas, violam os direitos humanos e desvalorizam a identidade das mulheres".

Não existe pesquisa confiável sobre o número de ateus no mundo muçulmano, e por um motivo óbvio: ninguém diria a um entrevistador que não acredita em Deus.

Ateus também têm instinto de preservação do pescoço.


Há indícios, contudo, de que o número de ateus esteja se expandindo rapidamente em países de cultura islâmica.

Entre os motivos desse fenômeno, está a radicalização da religião por grupos como o Estado Islâmico.

Ali Abdulkareem Majeed, 22, disse que a selvageria do califado islâmico abalou a imagem da religião diante dos jovens.

Ele é um estudante iraquiano crente de sociologia que fez um estudo sobre ateísmo a pedido de um grupo de religiosos.

Outra explicação para o avanço do ateísmo nesses países é a popularização da internet, que tem permitido aos muçulmanos acesso a um volume grandioso de informações e a interação entre eles.

Os novos ateus do mundo muçulmano se encontram principalmente em grupos e comunidades do Facebook.

Somente em 2016, essa rede social, pressionada por religiosos extremistas, fechou mais de 50 páginas ateias, de acordo com a Aliança Ateísta – Oriente Médio e África do Norte, com sede nos Estados Unidos.

Muitas dessas páginas foram reabertas e outras, criadas.

Em 2011, uma agência curda de notícias, a AKnews, publicou uma pesquisa segundo a qual, do total dos iraquianos, 67% afirmaram acreditar na existência Deus, 21% disseram que Deus provavelmente existe, 7% não acreditavam em divindade e 4% é mais provável que Ele não exista.

Se essa pesquisa tiver alguma credibilidade, no Iraque, proporcionalmente, há mais ateus em países como o Brasil, por exemplo.

Com informação do Washington Times.




Islâmicos reprimem ateus de comunidade na Grã-Bretanha

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.