Pai-nosso não é oração universal nem entre cristãos



A desculpa é antiga, mas continua sendo usada por falta de criatividade: professores que obrigam seus alunos a rezarem o pai-nosso argumentam que essa oração é universal e, por isso, vale para todas as religiões.

Vereadores autores de lei do pai-nosso nas escolas recorreram ao mesmo argumento tosco.

Trata-se de uma falácia porque o pai-nosso está em dois trechos na Bíblia, em versos nos quais Jesus ensina seus seguidores como se dirigir a Deus.

É, portanto, uma oração de Cristo, cristã.

O que passa despercebido para a maioria das pessoas é que o pai-nosso não é universal sequer entre os cristãos.

Há várias versões dessa oração.

Há o pai-nosso dos católicos, que recitam os versos bíblicos ao pé da letra.

Há o dos evangélicos, que usam a oração como modelo para inspirar suas preces.

Há a versão dos espíritas kardecistas.

E por aí vai.

Mesmo se houvesse uma oração genérica, contemplando os milhares de deuses, ela não poderia ser adotada em escolas públicas de país de Estado laico, como o Brasil.

Porque quem não se ajoelha diante de divindade alguma tem de ser respeitado.

Envio de correção



Escola obriga adepto do candomblé a rezar pai-nosso