MPF quer retratação do apoio de Sheherazade a linchamento



O MPF (Ministério Público Federal) fez um apelo judicial para que o SBT veicule uma retração do comentário da apresentadora Rachel Sheherazade (foto) defendendo um linchamento [ver vídeo abaixo].

O órgão já tinha formulado uma ação pública contra a apresentadora em setembro de 2014.

O Tribunal Regional Federal julgou a ação improcedente, em defesa do “direito à liberdade de expressão” de Sheherazade.

Apresentadora nunca
se retratou

Para o procurador regional da República Walter Claudius Rothenburg, contudo, isso não impede que haja uma retração por parte da emissora, porque o incitamento à violência é um crime grave.

Em fevereiro daquele ano, no principal telejornal do SBT, em rede nacional, Sheherazade se solidarizou com um grupo de justiceiros que tinha amarrado um jovem negro nu a um poste com tranca de bicicleta, por ser um suposto ladrão.

A apresentadora disse: "O Estado é omisso, a polícia desmoralizada e a Justiça é falha. O que resta ao cidadão de bem que ainda por cima foi desarmado? Se defender, é claro!”

Continuou: “O contra-ataque aos bandidos é o que eu chamo de legítima defesa coletiva de uma sociedade sem Estado contra um estado de violência sem limite”.

Referindo-se ao jovem, comentou: “Aos defensores dos Direitos Humanos que se apiedaram do marginalzinho preso ao poste, eu lanço uma campanha: faça um favor ao Brasil, adote um bandido".

Coincidência ou não, após o incitamento à Justiça com as próprias mãos feito pela apresentadora, houve no país aumento no número de linchamentos.

'Atitude dos vingadores é até compreensível'


Com informação do Ministério Público Federal e de Paulopes e foto de reprodução.

Envio de correção



SS adverte Sheherazade: ‘Você não pode dar a sua opinião’