Russo fica em liberdade vigiada por caçar pokémons em igreja



A Justiça da Rússia condenou Ruslan Sokolovski, 22, a 3,5 anos de prisão sob a acusação de instigar ódio por caçar em 2016 pokémons na Igreja de Todos os Santos, em Yekaterinburg [ver vídeo abaixo].

A condenação se deu por intermédio de uma “pena suspensa”, o que significa que Sokolovski, no período, permanecerá em liberdade vigiada.

Sokolovski estava preso desde o ano passado, quando religiosos apresentaram acusação contra ele.

A juíza Yekaterina Shoponiak, autora da sentença, advertiu o jovem de que ele poderá voltar à prisão se houver reincidência, sem a necessidade de novo julgamento.

Sokolovski agradeceu o apoio que recebeu da imprensa internacional.

Dias antes da divulgação da sentença, o jovem afirmou que pode ser um idiota, “mas de forma alguma sou um extremista”.


Com informação das agências.

Envio de correção



Pokémon GO é criador de ciberdemônios, diz pastor

Postar um comentário