Igreja teme perder isenção fiscal com a reforma da Previdência

Reforma poderá rever isenção às igrejas

Por intermédio da CNBB, a Igreja Católica tem feito duras críticas à reforma da Previdência proposta pelo Governo Temer.

A alegação é que as mudanças vão prejudicar os trabalhadores, mas há outro motivo sobre o qual os bispos não falam.

Trata-se da possibilidade de o governo rever a isenções fiscais das entidades filantrópicas, o que incluiria organizações das igrejas.

Não haverá mudança na imunidade tributária porque esse benefício consta na Constituição.

O governo Temer já teria orientado o deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), relator da reforma, a colocar na pauta a questão das isenções fiscais, que são concedidas a vários setores, do agronegócios a clubes de futebol.

Maia já se manifestou contra esses benefícios porque significam a não entrada de bilhões de reais nos cofres públicos.

O empenho da Igreja Católica contra a reforma tributária é tanto, que a pregação já chegou às missas, de acordo com o repórter Valdo Cruz.

Com informação da Globo News e de outras fontes.


Envio de correção.

 Por que igrejas e suas entidades não pagam impostos?


Postar um comentário