TJ-BA vai julgar se prefeito pode dar a chave da cidade a Deus


O TJ-BA (Tribunal de Justiça da Bahia) aceitou a Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) proposta do Ministério Público Estadual contra o decreto do prefeito de Guanabi, Jairo Silveira Magalhães, de entrega da chave da cidade a Deus.

Evangélico também
revogou pactos com
 outros deuses
Para o MP, o decreto não tem amparo da Constituição porque o Estado é laico.

O decreto do evangélico Magalhães extrapolou para a intolerância religiosa, porque também, “em nome de Jesus”, revogou “todos os pactos realizados com outro Deu ou entidade espirituais”.

Magalhães entende que o Deus verdadeiro é o evangélico, nem sequer o católico.

O prefeito tem prazo de cinco dias para se explicar à Justiça e a partir desse prazo haverá uma sentença.

Com informação do G1.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


Sete mitos de Jesus Cristo que põem em xeque sua existência