Jihadista não se arrepende de 500 assassinatos e 200 estupros


Jovem diz que matou muitos cristãos
Preso no Iraque por soldados curdos, Amir Hussein, do Estado Islâmico, tem apenas 21 anos, mas já cometeu cerca de 500 assassinados e 200 estupros.

Ele foi incorporado à organização islâmica terrorista aos 13 anos.

A monstruosidade do jovem é tanta que ele não se arrepende do que fez e demonstra orgulho.

Ao comentar suas atrocidades aos jornalistas, ele disse: “Os homens jovens precisam disso, é normal”.

Disse que matou muitos cristãos.

“Degolei muitas pessoas”, afirmou.

“No começo era difícil, mas ficou mais fácil com o tempo.”

Contou que o Estado Islâmico levava os prisioneiros ao deserto e ali os assassinava.

Disse que ele e seus companheiros matavam ao mesmo tempo até 40 pessoas.

“Eu colocava [as vítimas] sentadas, vendava seus olhos e manda uma bala na cabeça delas.”

Na cela onde se encontra, Hussein não se desgruda do exemplar de um Corão, de onde os jihadistas tiram as justificativas para sua matança.

Enquanto isso, alguns líderes muçulmanos afirmam que o Islã é uma religião da paz.

Com informação das agências e foto de reprodução.

Envio de correção.


Membro do Estado Islâmico decapita em público próprio pai