25 dicas para identificar um adepto de pseudociências


por David Silva Valerio
para Skepticom

1- Os divulgadores de pseudociências fazem reivindicações extraordinárias citando como origem cientistas russos. Também é comum apelar para cientistas britânicos. Melhor ainda se eles forem da Universidade de Oxford.

2 - Eles acreditam nas notícias da Russia Today.

3 - Acreditam que os produtos químicos (principalmente os de nomes longos) foram concebidos por corporações do mal para envenenar a população pelo ar, água e alimentos.

4 - Usam palavra "quântico" fora do contexto da física quântica.

5 - Inventam planetas e eventos astronômicos.

6 - Usam palavras como "positivista" ou "cientificista" pejorativamente.

7 - Usam vídeos de youtubers conspiracionistas como prova irrefutável.

8 - Apelam para o argumento de que há uma censura de qualquer organização ou instituição poderosa para justificar a falta de provas.

9 - Acreditam na Nova Ordem Mundial, o que ninguém saber ao certo o que é, e em entidades secretas que dominam o mundo.

10 - Acreditam que a sociedade se encontra adormecida em um sono profundo (induzida por um reinante poder real), do qual somente eles tiveram inteligência e coragem de acordar.

11- São maniqueístas: dividem o mundo entre o bem e o mal, vítimas e algozes, opressores e oprimidos.

12- Geralmente, são antissemitas.

13 - Eles acreditam em alma, consciência universal e lei da atração.

14 - São geralmente primitivistas.

15 - Acreditam que a medicina moderna é apenas uma arma do imperialismo.

16 - Acreditam que a indústrias farmacêuticas são máfias que impedem a cura de certas doenças, a fim de lucrar com a vida da população.

17 - Acreditam que o óleo de maconha cura o câncer.

18 - Xingam quem deles discorda.

19 - Acreditam que a humanidade foi visitada por ET, de modo a ensiná-los a empilhar toneladas de pedra em pirâmides.

20 - Consideram a espécie humana uma praga para o planeta.

21- Seguem práticas pseudo-médicas com nomes estranhos que combinam terminologia científica para soar mais credível, como a energia de cura-bio-psico-neuro-geomagnético quântica.

22 - Acreditam que a televisão, futebol e outros entretenimento são armas de distração criadas para cobrir a realidade social que nos mantêm alienados.

23 - Acreditam em coisas como movimento perpétuo e energia infinita.

24 - Asseguram que Nikola Tesla desenvolveu energia livre, mas foi vítima de uma trama nas mãos das máfias de petróleo.

25 - Não sabem distinguir um hoax de uma informação real e só acumulam informações e manchetes escandalosas com histórias incríveis de abduções, conspirações, curas milagrosas, o controle da população e naves de ETs que estão vindo dos confins da galáxia para destruir a Terra.

Esse texto foi publicado originalmente com o título "27 dicas para identificar charlatões em redes sociais". A palavra "charlatões" é imprópria porque muitas pessoas (certamente a maioria) são defensoras de pseudociências não por má fé, mas por ignorância ou burrice. Nesta versão em português foram suprimidas duas dicas por não serem de interesse do leitor brasileiro.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


CNPq gasta R$ 400 mil com a pseudociência da homeopatia

Semelhantes

Postagens mais visitadas deste blog