Primeiros cristãos promoviam sacrifício humano, diz livro



Os primeiros cristãos, cuja maioria era constituída por judeus, promoviam rituais macabros, entre os quais o sacrifício de humanos, do qual há indício na Bíblia, em Gênesis 22, quando Deus pede a Abraão que matasse seu filho.

A própria Bíblia dá
indício desse tipo
de barbaridade
O livro “A História Secreta da Igreja”, de Michael Kerrigan, conta que no final do século 2º, o estudioso e cristão Minúcio Félix se opôs a esse tipo de barbaridade.

Félix escreveu: “Avidamente — que horror! — eles [os cristãos] lambem seu sangue [da vítima]; ansiosamente dividem seus membros”.

Naquele tempo, os cristãos eram tidos como pertencentes a uma seita maldita, e alguns rituais de iniciação reforçavam isso.

E um desses rituais, os sacerdotes cristãos escondiam uma criança em um saco de farinha e incentivavam o candidato a esfaqueá-lo, com força e rapidamente.

Trata-se de uma versão antiga da eucaristia — do pão e vinho se tornando o corpo e o sangue de Jesus Cristo.

Com informação do “A História Secreta da Igreja”, de Michael Kerrigan, Editora Europa.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


Indiano mata filho de oito meses em sacrifício à deusa Kali