Pastor de Sorocaba tratava funcionário como escravo


O Ministério do Trabalho multou em Sorocaba (SP) o pastor Eliseu Rodrigues (foto), da igreja Ministério Paz e Amor, em R$ 1,7 mil para indenizar um funcionário de 29 anos que vinha sendo submetido a regime análogo à escravidão.

Rodrigues teve
de pagar uma
indenização
Alertadas por uma denúncia anônima, a fiscalização do ministério e a Polícia Federal constataram que o funcionário se encontrava em situação degradante.

Sob a ordem de Rodrigues, o funcionário trabalhava das 8 h às 17h em um restaurante e das 17h às 22h30 no templo, onde dormia em um colchão sem lençol no chão.

O pastor se defendeu admitindo que não tinha prometido nada ao rapaz, de quem ele tentou receber de volta o dinheiro da indenização para pagar gastos da igreja.


'Quarto' do funcionário na igreja

Com informação e reprodução de imagem do SBT.

Semelhantes

Postagens mais visitadas deste blog