Bala que matou menina foi justiça divina, diz professora


Denise tem Deus no coração
A professora Denise Oliveira (foto) escreveu no Facebook que a bala perdida que matou Sofia Lara, de 2 anos, foi “justiça divina”, porque o pai da menina é PM no Rio de um batalhão que tirou a vida de cinco pessoas em Cosa Barros, bairro onde há favelas.

“Pois é... Pra quem acredita, Deus não dorme, cobra!”, escreveu Denise.

Sofia foi morta no dia 21 de janeiro de 2017, durante um tiroteio entre PMs e bandidos, quando ela brincava na parte externa de uma lanchonete Habib's, na Zona Norte do Rio.

Diante da repercussão de suas palavras nas redes sociais, a professora deletou seu post e pediu desculpas à família de Sofia.

Felipe de Souza Amaral Fernandes e Herica, pais da menina, aceitaram as desculpas, mas, mesmo assim, eles registram queixa na polícia, para que Denise seja punida.

A Secretaria de Educação do Rio afastou a professora de suas atividades, até que o caso se esclareça.

O pior é que Denise está certa: o Deus da Bíblia é perverso e vingativo, porque, entre outras barbaridades, mandou matar primogênitos no Egito.


Sofia e sua mãe, Herica
Com informação do G1 e imagens de reprodução.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


Nove trechos da Bíblia que fazem apologia à tortura