Advogado recorre à Justiça contra culto na prefeitura do Rio


O advogado Victor Travanca entrou com ação popular para que a Justiça proíba a realização de cultos evangélicos na sede da prefeitura do Rio de Janeiro.

Cartaz informa
que culto ocorre
toda terça-feira
Ele argumentou que o artigo 19 da Constituição, o da laicidade do Estado, impede que em instalações oficiais haja qualquer atividade religiosa.

Travanca quer que os religiosos paguem à prefeitura R$ 100 mil, por conta dos gastos com luz e ar-condicionado.

Em nota, a prefeitura informou que os cultos são realizados às terças-feiras desde o governo de Cesar Mania,

Acrescentou que no local também se realizam reuniões de kardecistas e messiânicos, entre outros religiosos.

Ou seja, se depender de Marcelo Crivella, prefeito e bispo licenciado da Igreja Universal, a sede da administração da cidade continuará sendo usada como templo.

Que a Justiça se manifeste logo.

Com informação das agências.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


Uso da Câmara de SP para culto é inadmissível, dizem juristas

Semelhantes

Postagens mais visitadas deste blog