Pastor diz por que evangélicos se tornaram chacota nacional


“Os neopentecostais se firmaram como um supermercado grotesco de serviços (e produtos) religiosos”, escreveu em seu site o pastor Ricardo Gondim (foto), da Igreja Betesda.

Gondim diz por
 que evangélicos são
chacota nacional
“Vende-se de tudo: vassoura sagrada, Bíblia ungida, sal grosso, água do rio Jordão, tijolo da bênção, toalha milagrosa”, afirmou ele no texto, cujo título é “O triste fim do movimento evangélico”.

“O fiel, percebido como consumidor, passa a relacionar-se com Deus nas bases do mercado: buscando um melhor serviço (bênção) por um menor preço.”

Gondim tem sido um crítico implacável do movimento evangélico brasileiro e pagado um alto preço por isso. Chegou, inclusive, a ser dispensado de uma revista cristã, depois de anos de colaboração.

Ele é o autor do texto “Deus me livre de um Brasil evangélico”.

No texto de agora, Gondim escreveu que o mundo gospel se firmou no Brasil por intermédio do nanismo cultural, superficialismo ético, pragmatismo da riqueza fácil, hipocrisia moralista e fundamentalismo teológico.

Acrescentou que os evangélicos brasileiros adotaram o moralismo e o fundamentalismo de religiosos dos Estados Unidos e se “neopentecostalizaram”.

Gondim concluiu que esse é o motivo de os evangélicos se tornarem “chacota nacional”.