Morre dom Paulo Arns, o cardeal que enfrentou a ditadura militar



Morreu hoje (14 de dezembro de 2016) em São Paulo o cardeal dom Paulo Evaristo Arns (foto).

Sacerdote
enfrentou os
militares
Ele estava internado desde o dia 28 de novembro com broncopneumonia, no hospital Santa Catarina. Seu estado de saúde piorou em decorrência de problemas renais.

Estava com 95 anos.

Da ala progressista da Igreja, o sacerdote franciscano se destacou como um dos principais opositores da ditadura militar (1964-1985).

Em março de 1973, quando o então bispo foi promovido a cardeal, dom Paulo criou a Comissão de Justiça e Paz, formada principalmente por advogados, para atender as pessoas perseguidas pela ditadura.

A atuação de dom Paulo foi fundamental para que a opinião pública soubesse que o jornalista Vladimir Herzog não se suicidou, mas foi assassinado nos porões de tortura da ditadura.

Com informação das agências.

Envio de correção.



Torturados contam como religiões ajudaram ditadura