Grã-Bretanha recusa registro de religião aos cavaleiros jedi



Quase 200 mil britânicos declararam
que são fiéis dos cavaleiros da Força
da BBC Brasil

A Comissão da Caridade, o órgão do governo britânico que registra e fiscaliza organizações de beneficência, determinou que o Jediísmo - a adoração da mitologia dos cavaleiros de Jedi da série de filmes "Guerra nas Estrelas" - não é uma religião.

O departamento rejeitou um pedido que daria status de instituição de caridade ao Templo da Ordem de Jedi.

A decisão afirma que "o Jediísmo não promove melhorias éticas ou morais" especificadas na legislação que regula esse tipo de instituição na Inglaterra e no País de Gales. Além disso, justifica que o movimento "não possuía os elementos espirituais e não seculares" que fundamentam uma religião.

Segundo o órgão, não há provas suficientes de que a "melhora moral" estaria no centro das convicções e práticas do Jediísmo, além de não haver "coerência, coesão ou seriedade", característicos de um verdadeiro sistema de crenças.

Para ser classificada como uma religião, esclarece a comissão, seria necessário comprovar os impactos positivos na sociedade em geral e, na percepção do órgão, o Jediísmo pode ter um foco interno, concentrado em seus próprios membros.

Dados do Censo de 2011 revelam que 177 mil pessoas se declaram jediístas quando questionadas sobre sua religião, o que a tornaria a sétima mais popular na região.

Tudo começou como uma resposta irônica de alguns ateus no Censo de 2001 do Reino Unido - a pergunta sobre crença religiosa foi incluída pela primeira vez naquele ano. Por causa disso, 390 mil pessoas se disseram "seguidoras da Força"

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


Campanha na Austrália pede a ateus que não se declarem Jedi

Semelhantes

Postagens mais visitadas deste blog