Ateus dos EUA querem trocar o Natal pelo Solstício de Inverno

Data é fixada pelo ângulo do sol
em relação à linha do equador
O que deve ser comemorado no dia 25 de dezembro não é o Natal, mas o Solstício de Inverno, defende a FFRF (Freedom from Religion Foundation), fundação americana que congrega ateus, agnósticos e livres pensadores em geral.

O argumento da fundação é que a Igreja Católica se aproveitou na antiguidade da festa Solstício de Inverno, tida por ela como pagã, para comemorar o aniversário de Jesus, embora não haja prova de que ele tenha nascido nesse dia.

FFRF distribuiu panfletos explicando esse solstício.

No hemisfério norte, ele ocorre por volta do dia 22 de dezembro. No hemisfério sul, em torno de 21 de junho.

A data exata tem de ser calculada, com precisão de frações de segundo. Ela é determinada pela maior distância angular do sol em relação à linha do equador [ver gráfico acima].

Na Roma antiga, nesta época do ano, comemorava-se os deuses, com destaque para Saturno. 

Inicialmente, a comemoração Saturnália ocorria no dia 17 de dezembro, sendo depois esticada até o dia 25 de dezembro.

A própria Igreja admite que Jesus não tenha nascido em dezembro. A data correta se situaria em fins de setembro.

Para céticos, essa imprecisão é mais um indício de que Jesus possa não ter existido.

A FFRF também tem feito campanha para que as pessoas não participem dos tradicionais culto e missa de Natal, principalmente os mais jovens, faixa etária que tem se distanciado da religião.

Com informação do Christian Today e de outras fontes.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


No Uruguai, Natal não é dia de comemorar a família


Postar um comentário