MP de Minas investiga palestra de pastora sobre cura gay

Movido por uma representação de um cidadão, o MP (Ministério Público) de Minas Gerais vai pedir explicação à pastora Isildinha Muradas (foto), da Igreja Batista, sobre a palestra referente à cura gay que ela ia dar sob a promoção da Igreja Batista Getsêmani — Missão Portugal, em Belo Horizonte.

Isildinha agora põe a
culpa no responsável
pela divulgação
A palestra foi anunciada na internet com o tema “Como prevenir e reverter a homossexualidade”.

Diante de críticas nas redes sociais, o tema foi mudado para “Orientando pais sobre a sexualidade de seus filhos”.

A data da palestra foi adiada para uma data não divulgada.

Isildinha não esperava tanto repercussão contra a palestra e tem procurado passar a ideia de que tudo não passa de um equívoco, colocando a culpa no responsável pela divulgação do evento.

“Quero deixar claro que não tenho nada contra a opção e escolha sexual de ninguém", disse.

A pastora também admitiu que não é psicopedagoga, embora no anúncio da palestra fosse apresentada como tal.

Também nesse caso ela colocou a culpa em outra pessoa.

Em um vídeo no Facebook, o pastor Jorge Linhares, da Igreja Batista Getsêmani, disse que não sabia da palestra, mas defendeu a Isildinha.

Disse que “tem gente preocupada com os seus órgãos sexuais” e que isso não é problema da igreja.

Mas em seguida ele entrou em contradição, falando indiretamente de sexo ao afirmar que Jesus só “não ama as nossas práticas que a Bíblia condena”, numa referência à homossexualidade.

Em nota, o Ministério Público manifestou “preocupação com a disseminação de ações tendentes a tratar a homossexualidade como um aspecto negativo da personalidade e disseminar a discriminação com base na orientação sexual”.

Com informação do G1 e de outras fontes e imagem reproduzida do Youtube.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


R.R. Soares publicou nos anos 80 anúncio de ‘cura gay’


Semelhantes

Postagens mais visitadas deste blog