Nos EUA, mulheres desistem mais das igrejas que homens


Desde os anos 70, se mantém nos Estados Unidos a tendência de as mulheres desistirem de frequentar cultos, missas e demais serviços religiosos em proporção maior do que os homens. A conclusão é do Pew Research Center, que analisou dados históricos da General Social Survey.

Afastamento das mulheres
se deve principalmente
ao conservadorismo
A tendência vale tanto para as mulheres mais instruídas como para a menos.

No início da década de 1970, 36% das mulheres relataram que passaram a frequentar menos os templos, contra 26% dos homens, havendo, portanto, dez pontos percentuais de diferença.

Desde então, houve oscilação nessa diferença, mas as mulheres sempre se mantiveram à frente.

David McClendon, do Pew, disse que, para explicar o afastamento das mulheres dos templos, há várias razões possíveis.

Entre elas, está a entrada das mulheres no mercado de trabalho, sobrando-lhes, portanto, menos tempo para atividades religiosas.

Segundo ele, também se destaca o fato de que a sociedade americana estar se tornando cada vez mais em religião, o que se acentuando nos últimos anos.

Para McClendon, o que parece certo mesmo é que o conservadorismo das religiões, com condenação ao aborto, por exemplo, tem sido fator preponderante pelo aumento do desinteresse crescente das mulheres pelas religiões organizadas.

Com informação do site USCA Annenberg.