Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Afirmar que 'Se Deus não existe, tudo é permitido' é uma tolice

Paixão de religiosos é um pesadelo que atormenta a todos

por Walter Filho

Sempre escuto em debates o seguinte: “Se Deus não existe, tudo é permitido”. Com essa expressão, os intolerantes religiosos justificam a obrigatoriedade da crença em um ser superior, ou seja, é preciso acreditar em um deus para se conduzir na trilha do bem. Não é bem assim que as coisas funcionam. Existem leis humanas que vedam determinados comportamentos com punição para quem violar as regras – crimes são tipificados.

Os costumes, as tradições, o bom senso, a piedade natural e tantos outros apegos nos impedem da prática de atos contrários ao bem-estar coletivo. Na contramão desses atributos, os radicais religiosos praticam atos sanguinários como imposição da fé propagada pelo grupo.

Se você não pensa igual a eles, é visto como inimigo – a liberdade de escolha é algo satânico e o liberto deve morrer. Na verdade, os depravados tentam esconder seus verdadeiros e inconfessáveis deleites sob o manto das ações criminosas.

Ao olharmos para países de maioria ateísta, percebemos a tolice da frase inicial. Temos como exemplo Noruega e Dinamarca, onde as taxas de crimes são insignificantes, além de serem nações altamente desenvolvidas e destacadas no relatório da ONU que aponta o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) pelo mundo. Os serviços de saneamento ambiental atendem todas as residências da Dinamarca – 80% de seus habitantes são ateus. Dois anos atrás, a Noruega estava no topo do ranking como nação mais desenvolvida do planeta, tendo 72% de ateístas.

Os religiosos intransigentes querem punição para estes povos e para quem não acreditar em Deus. São criaturas que instauram em suas consciências a monarquia absoluta. A paixão avassaladora gera nestes indivíduos o fanatismo, um pesadelo que atormenta todos nós.

Podemos não amar as pessoas, mas somos obrigados a respeitá-las; assim, teríamos um mundo melhor para vivermos. Enquanto a humanidade não tiver uma visão sarada da divindade, o mundo vai continuar chorando os morticínios – é o perigo da vitória dos doentes.

Esse texto foi publicado originalmente no "O Povo Online". O autor é promotor de Justiça. O título é de autoria deste site. 





Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...