Paulopes

Religião, ateísmo, ciência e astronomia

domingo, 17 de abril de 2016

Evangélicos negociam obtenção de apoio do Governo Temer

por Marcella Fernandes e Grasielle Castro
para Huffpost Brasil

Com 79 deputados, a Frente Parlamentar Evangélica aposta no governo do PMDB para avançar nas pautas conservadoras. Após declarar apoio ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, a bancada tem se reunido com Michel Temer, em busca de apoio.

Sóstenes crê que agora
 haverá menos resistência
 à pauta evangélica
Quanto ao posicionamento diante da conduta do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), réu na Operação Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro, a frente silencia.

Um dos articuladores das votações de projetos considerados retrocessos aos direitos humanos, o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), na foto, vê no governo Temer menos resistência à agenda da bancada, tema das reuniões com o peemedebista, conforme disse ao HuffPost Brasil.

“O governo do PT é um governo muito mais ideológico em seus princípios do que nos princípios da cultura religiosa do País. Portanto, eu acho que, com o Michel Temer, estes nossos assuntos terão ao menos mais diálogo e mais facilidade, o que em nenhum momento de 13 anos do governo do PT nós conseguimos, excetuando os dois primeiros anos do presidente Lula”, argumentou.

Cavalcante é pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, de Silas Malafaia,

Na agenda pós-impeachment, as prioridades da Bancada Evangélica são: o Estatuto da Família (PL 6583/2013), o Estatuto do Nascituro (PL478/2007) e a PEC 99/2011, que permite entidades religiosas propor ação direta de inconstitucionalidade e ação declaratória de constitucionalidade ao Supremo Tribunal Federal. Atualmente essa prerrogativa é restrita a chefes do Executivo e Legislativo federais e estaduais, ao procurador-geral da República, Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), partido político ou entidade de classe de âmbito nacional.

Alvo de protestos em diversas cidades do país em 2015, o PL 5069/2013, de autoria de Cunha, que dificulta o atendimento às vítimas de estupro, também está na lista.

“Manifestação não influencia no voto de convicção da Bancada Evangélica e nessa hora a gente faz uma interlocução muito boa com as bancadas da segurança pública e da agricultura. Quando a gente junta as três bancadas, a gente aprova”, torce Sóstenes.

A Frente da Segurança conta com 210 deputados e a da Agricultura com 191, sendo que há nomes nas três.

Além de apresentar a agenda para Temer, as conversas trataram também do apoio ao peemedebista. Hoje 58% dos brasileiros são favoráveis ao impeachment de Temer.






Postar um comentário

Posts mais compartilhados na semana

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...