Paulopes

Religião, ateísmo, ciência e astronomia

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Evangélicos reagem com fúria contra ‘escorregada’ da Folha

Cristãos criam
uma teoria de
conspiração
O jornalista responsável pelos posts da Folha de S.Paulo no Facebook deu uma escorregada feia ao publicar o link do caso dos pais que acabaram matando um filho dentro de sua igreja com este comentário: “Coisas que só as igrejas fazem por você”.

O comentário foi deletado após as primeiras reações.

As críticas de religiosos (principalmente de evangélicos) ao jornal foram desmedidamente furiosas (a ira não é pecado?).

O site que se propõe a fazer “apologética com humor”, o Genizah, por exemplo, mostrou seu lado ranzinza ao exagerar: “Mais uma vez a Folha de São Paulo humilha e destila ódio contra evangélicos e católicos”.

O site parece acreditar que o conselho editorial da Folha, em uma reunião na calada da noite, decidiu: “Vamos sacanear os evangélicos no Facebook!”.

Eis aí uma teoria da conspiração com base na mania de perseguição dos cristãos.

Se o jornal quisesse "humilhar", por assim dizer, quem quer que seja usaria a página de seus editoriais, e não um post no Face.

Geralmente, quem cuida das páginas de jornais nas redes sociais são jornalistas novatos, em início de carreira, os quais, por isso, costumam cometer deslizes, em prejuízo à linha editorial da publicação. Neste caso, houve a criancice de um profissional inexperiente.

Genizah afirmou que a Folha “mais uma vez” destilou ódio contra os cristãos, mas não enumerou os supostas casos anteriores do posicionamento vil do jornal. Ele fica devendo.

A primeira versão do post da Folha no Facebook sobre o assassinato do jovem é preconceituosa, sim. Mas alguns daqueles que criticaram o jornal também manifestaram preconceito.

Tiago Cortês, por exemplo, revelou seu preconceito contra os ateus. Escreveu: “O estagiário ateu tirou a gracinha da página?”

Trata-se, claro, de uma estupidez porque há crentes que criticam as igrejas com a veemência de um ateu militante. Todos temos (ou deveríamos ter) senso crítico, independentemente de se possuir ou não uma religião. Certo?

Também houve no Face da Folha manifestações preconceituosas contra as religiões. Como a de Anderson Telles: “Religião sempre vai ser a destruição do ser humano, ainda mais em pessoas com problemas mentais" .

Com informação do Facebook e do Genizah.





Justiça manda blog deletar que 'pastor da Universal vai roubar'

Postar um comentário

Posts mais compartilhados na semana

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...