Paulopes

Religião, ateísmo, teoria da evolução e astronomia

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Avon retira apoio de programa do Equador que humilhou ateia

Juradas foram
implacáveis com
jovem descrente
A Avon retirou seu apoio publicitário do Ecuador Tiene Talento, da emissora equatoriana Ecuavisa, porque três juradas do programa discriminaram uma candidata a cantora por ela ser ateia.

Em seu perfil do Twitter naquele país, a empresa de cosméticos comunicou no dia 25 de setembro que “apoia a mulher e o livre pensamento” e que [por isso] estava retirando seu apoio ao reality show.

Não foi divulgado o valor da verba publicitária que a Ecuavisa deixará de obter.

No programa do dia 20 de setembro, María Fernanda Ríos, Wendy Vera e Paola Ferías massacraram ao vivo Carolina Peña, 16, por ela, em resposta a uma pergunta, ter afirmado que não acredita em Deus. [ver vídeo abaixo]

O jurado Fernando Villaroel foi o único a ressaltar que talento não é uma questão de se crer ou não em Deus. Ele criticou suas companheiras de bancada por estarem recitando um catecismo à candidata.

A emissora e as juradas foram pegas de surpresa pelo grande volume de críticas na internet.

Ecuavisa evocou seus direitos de imagens para tirar do Youtube um trecho do programa que estava sendo reproduzido por blogs e sites de todo o mundo, obtendo milhões de acessos. Mas essas imagens podem ser localizadas em outros endereços da internet.

María Fernanda, que deu o tom da reprovação ao ateísmo de Carolina, falou em uma entrevista que está sofrendo ameaças de morte. Acrescentou que não se arrepende de nada do que disse.

Wendy Vera também disse que não se sente segura.

“Antes, eu poderia ir com tranquilidade para qualquer canto, mas agora tenho de ser acompanhada por segurança”, disse. “Me disseram que vão jogar ácido no meu rosto e que 50 homens vão me violentar.”

Com o lema “uma empresa para a mulher”, a Avon tem como política de marketing não dar apoio publicitário a eventos que desmereçam a mulher ou que promovam qualquer tipo de discriminação.

No Brasil, em 2012, a empresa tirou de seu catálogos livros gospel da editora de Silas Malafaia quando este pastor radicalizou sua pregação contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Empresa apoia o livre pensamento

Manifestação ao vivo de preconceito



Com informação do Ecuador Notícias e de outras fontes.





Ateus exigem desculpas à jovem humilhada na TV do Equador
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...