Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Mulher acusa Iurd de reprová-la em ‘estágio para esposa’

Cantora disse que
foi considerada
velha e gorda
Uma mulher processou a Igreja Universal com pedido de indenização por danos morais e patrimoniais por ter sido submetida a um “estágio de esposa” para poder casar com um pastor.

Ela disse nos autos que foi reprovada por um comitê de bispos por ter sido considerada velha e gorda.

Antes, afirmou, a Universal a submeteu à situação degradante, como trabalho doméstico não remunerado em templos e em casa de pastores, e a testes de virgindade e HIV.

Além disso, ela afirmou que teve prejudicada a sua carreira de cantora gospel porque deixou de lançar o álbum de músicas “Noite de Milagres”.

O juiz Walter José Girotto, da 17ª Vara Cível do Foro Central da Capital, de Porto Alegre, julgou parcialmente procedente o pedido de indenização, determinando que a Universal pagasse R$ 12 mil por dano moral.

A igreja recorreu da sentença, e a 10ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul acolheu o argumento de que o pedido da mulher é improcedente porque ela agiu no exercício de seu  livre arbítrio e de acordo com seus interesses.

A Universal reconheceu que a mulher prestou serviço de limpeza em templos, mas foi como obreira, e negou que a realização de teste de virgindade.

Com informação do TJ-RS.





Universal usa detector de Satã em fiéis, afirma mãe de obreiro

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...