Paulopes

Religião, ateísmo, ciência e astronomia

segunda-feira, 11 de maio de 2015

MP instaura inquérito para investigar queima de Bíblia

Estudante de filosofia
Oliveira disse que não
se arrepende de nada
O MP (Ministério Público) do Estado do Acre instaurou inquérito civil com o propósito de investigar os responsáveis pela queima de um exemplar da Bíblia no dia 30 de abril, no campus da Ufac (Universidade Federal do Acre), em Rio Branco.

O promotor Marco Aurélio Ribeiro, da Promotoria Especializada de Defesa de Direitos Humanos, disse ser obrigação do Ministério Público “adotar todas as medidas necessárias para rápida eliminação de intolerância em todas as suas formas e manifestações, com o intuito de prevenir e combater a discriminação por motivos de religião”.

O estudante de filosofia Roberto Oliveira da Silva (foto), 29, que aparece em um vídeo (ver abaixo) colocando fogo na Bíblia durante um encontro de ateus, afirmou que não se arrepende de nada, até porque não quis “ofender nem ferir o credo de ninguém”.

"Acredito que o homem pode e deve exercer sua liberdade, e isso implica em assumir a responsabilidade de seus atos”, escreveu em sua página no Facebook.

Ele pediu àqueles se sentiram ofendidos com a queima da Bíblia que “reflitam sobre as suas práticas mediante a minha”.

O estudante de direito Felipe Zanon, organizador do encontro, afirmou que a queima da Bíblia foi contra os massacres promovidos ao longo da história pelo cristianismo.

Pastores de Rio Branco ficaram indignados com o “ato insano”, solicitando providências contra os estudantes envolvidos.

O deputado Marco Feliciano (PSC-SP), que também é pastor, pediu à Polícia Civil do Acre que investigue o “vilipêndio” do “símbolo sagrado”.

A Polícia Civil já está investigando.

"É a Bíblia do jovem que
estava tentando me evangelizar"


Com informação das agências e imagem do Youtube.





Machismo da Bíblia e Corão manda a mulher se calar

Posts mais compartilhados na semana

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...