domingo, 1 de março de 2015

PF prende pastor que abusou nos EUA de 'Donzelas de Cristo'

Victor Barnard dizia ser 'Cristo  em carne' e,
por isso, podia ter sexo com suas donzelas
A Polícia Federal e a Polícia Militar de Natal prenderam às 21h de sexta-feira (27) o pastor americano Victor Arden Barnard (foto), 53, em um condomínio na praia de Pipa.

Havia um ano o líder religioso tinha fugido dos Estados Unidos, onde fora condenado pela Justiça do Estado de Minnesota por ter violentado sexualmente entre 2000 e 2012 pelo menos 59 jovens, entre crianças e adolescentes. A informação  da prisão teve forte repercussão na imprensa americana.

Barnard era líder da igreja cristã River Road Fellowship, que surgiu de uma dissidência da The Way International.

Em 2000, ele criou em sua igreja o grupo “Donzelas de Cristo” com 10 garotas de 12 a 24 anos que deveriam permanecer virgens e nunca se casar.

Lindsay foi violentada
dos 13 aos 22 anos
Em 2011, duas dessas jovens denunciaram o líder religioso à polícia por estar abusando delas sexualmente. Uma, Lindsay Tornambe (foto), disse que vinha sendo violentada desde os 13 anos de idade, e outra, Jess Schweiss, desde os 12.

Barnard pregava que ele era o próprio “Jesus na carne” e que suas seguidoras deveriam fazer sexo com ele, seguindo o exemplo de Maria Madalena.

Afirmava às meninas que, por ser Cristo, eram permaneceriam virgens após o relacionamento sexual com ele.

O pastor dizia, também, que o sexo era parte da história da cristandade, lembrando que o rei Salomão havia dormido com muitas concubinas.

Lindsay Tornambe, atualmente com 28 anos, afirmou que, com o consentimento de seus pais, no início de sua adolescência tinha se mudado para o acampamento em Pine County, Minnesota, onde ficavam as “Donzelas de Cristo”.

“Lá, ele [o pastor] começou a explicar que fazer sexo comigo era sua maneira de me mostrar o amor de Deus”, disse Tornambe à imprensa americana. E que não era para ela contar nada a ninguém porque, caso contrário, receberia uma condenação divina.

Tornambe sofreu abuso de uma a três vezes por mês até os 22 anos. Ela disse que aos 15 anos tentou deixar o grupo e que Tornambe, para fazê-la mudar de ideia, lhe deu um anel, um véu e outros presentes. Mas o que a fez mesmo permanecer no grupo foi a ameaça do pastor de que seria castigada por Deus. “Eu fiquei com muito medo.” Em 2010, ela finalmente se afastou do pastor.

Aparentemente, ninguém sabia que Barnard tinha um harém cristão. "Eu nunca tinha conhecido ninguém como ele que amava a Palavra de Deus", disse Ruth Johnson, ex-fiel do pastor na River Road Fellowship.

A polícia de Minnesota começou a investigar Barnard em 2012. Em novembro do mesmo ano, ele foi condenado, mas a Justiça não o encontrou. Ele tinha se mudado para o Estado de Washington.

A U.S. Marshal, organização de busca e captura de foragidos internacionais, ofereceu US$ 25.000 (R$ 72.000) por uma informação sobre o paradeiro do religioso.

Sabe-se, agora, que Tornambe tinha fugido para o Brasil, entrando no país legalmente, com seu próprio passaporte. Ele não foi localizado antes porque passou a ser procurado internacionalmente somente a partir de abril de 2014, quando foi expedido o mandado de prisão.

No Brasil, ele recebia o cobertura logística de uma brasileira de 33 anos que viveu nos Estados Unidos.

Em sua casa, a PF apreendeu computadores, pendrives, escrituras, documentos e agendas.

Bernard será extraditado para os Estados Unidos nos próximos dias.

Barnard com as dez virgens
Com informação das agências internacionais e da CNN e fotos de divulgação.





Condenado pastor que estuprou garota em nome de Jesus

Postar um comentário

Posts mais compartilhados na semana

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...