quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Livro orienta ateus a vivenciar luto em sociedade de religiosos

Carol teve ouvir 
pêsames como 
"Deus tem um plano" 
Quando a americana Carol Fiore (foto) perdeu o marido, ela teve de ouvir tentativa de consolo como “Seu amado está em lugar melhor” e “Deus tem um plano”.

Essas palavras não ajudaram Carol a enfrentar o luto porque ela não acredita em “um lugar melhor” nem em Deus. Ela é ateia.

O marido Eric, piloto de teste, morreu no dia 15 de novembro de 2.000 em consequências de queimaduras, após 36 dias de internação em um hospital. Ele tinha 43 anos e deixou duas filhas, uma de 10 e outra de 13, na época. Carol tinha 41.

Como estava sendo procurada para dar orientação como passar pelo luto sem a muleta do sobrenatural, Carol escreveu o livro A Grief Workbook for Skeptics: Surviving Loss without Religion (“Um livro de luto para céticos: sobrevivendo à perda sem religião”, na tradução literal para o português).

Trata-se de um livro de autoajuda onde Carol aborda itens específicos, como, por exemplo, lidar com declarações do tipo “Ponha sua vida nas mãos de Deus” e como construir um memorial a entes queridos.

Ela também sugere a adoção de animal de estimação e dedicação ao trabalho voluntário, dentro de um projeto de reconstrução do sentido de vida.

Como mostra o trecho abaixo do livro, Carol, a partir de sua experiência, não propõe uma fórmula única, mas alternativas, de acordo com o temperamento de cada pessoa ou as particularidades de cada ocasião.

Trecho do livro

Autora escreveu o livro com
base em sua experiência
Algumas destas afirmações lhe parecem familiar?

- Deus não comete erros.

- Você vai ficar melhor se aceitar o Senhor Jesus Cristo em sua vida.

- Deus tem um plano.

- Estou orando por você.

- Sua amada foi para um lugar melhor.

- Deus está testando você.

- Há uma razão e um propósito para tudo.

- É a vontade de Deus.

- Venha para a minha igreja e ore comigo.

- Deus ama a pessoa que você perdeu.

- A sua amada é mais feliz agora.

- Tenha fé.

- Ponha a sua vida nas mãos de Deus.

- Poderia ser pior.

- Deus nunca nos dá mais do que podemos suportar.

Existem três principais respostas para as pessoas que dizem esses tipos de coisas a quem é ateu: ignorá-las, rechaçá-las ou agradecê-las. O que você deve fazer?

Eu não posso responder a essa pergunta para você porque não há resposta certa ou errada. Mas posso lhe dizer o que fiz.

No início, agradeci às pessoas porque estava em choque. Eu sabia que elas estavam com boas intenções e tentei se o mais agradável possível.

Com o tempo, fiquei irritada e revidei aos comentários.

Lembro-me que agarrei a uma pessoa e disse: "Por que um Deus amoroso forçou duas crianças a verem seu pai sofrer e morrer?"

Eventualmente perdi a energia para discutir.

As minhas respostas que seguem abaixo são reais e, admito, algumas delas podem não ter sido as mais adequadas.

Eu passei por fases, dando respostas diferentes com base em diferentes pessoas e diferentes circunstâncias, às vezes indo e voltando entre a raiva e a aceitação, entre a tolerância e a intolerância.

Eu estava escondida no armário ateu e só saí quando Eric estava no hospital e, mesmo assim, não para todos.

Seus amigos [leitor], talvez até mesmo sua família, podem não saber que você é descrente. Se preferir mantê-lo assim, tudo bem, mas eu conclui que é preferível não mentir ou fingir.

Resposta sem argumentação

Pessoa religiosa (PR): Deus tem um plano.

Eu: Obrigado. Por favor, desculpe-me, eu preciso ir.

Resposta irritada

PR: Seu marido está em um lugar melhor.

Eu: Um buraco no chão não é um lugar melhor.

Resposta educada e sincera

PR: As coisas acontecem por uma razão.

Eu: Aprecio sua boa intenção, mas não acredito nisso.

Outra resposta educada e sincera

PR: Seu marido está com o Senhor Jesus.

Eu: Respeito o seu ponto de vista religioso, mas não acredito em vida após a morte.

Resposta gentil e verdadeira

PR: Eu estou orando por você.

Eu: Você tem sido um grande amigo. Espero que continue assim, mas sinto que devo ser honesto. Eu sou um ateu.

Resposta curta e grossa

PR: Deus nunca faz nada sem uma razão.

Eu: Eu sou ateu.

Resposta seca (para segurar comentário desagradável)

PR: Deus nunca nos dá mais do que podemos suportar.

Eu: Ok.

Resposta com comentário ríspido

PR: O seu marido está no céu e você vai vê-lo novamente.

Eu: Respeito a sua religião, mas não sou um crente. Eu sei que você está tentando me ajudar a me sentir melhor e eu aprecio isso. Mas você não precisa exagerar em sua condolência.

Resposta rude

PR: As coisas poderiam ser piores.

Eu: Claro. Qualquer tragédia poderia ser pior. .

Este próximo conselho é para as pessoas que tentam ajudar alguém que sofreu uma perda.

É difícil saber o que dizer a um amigo na dor emocional. Muitos de nós tropeçamos nas palavras e podemos dizer palavras inadequadas.

Que todos, religiosos ou não, precisam dizer a alguém com sofrimento de perda é simples: "Eu sinto muito".

Não fale sobre um plano de Deus ou em um lugar melhor. Pergunte o que seu amigo precisa. Talvez um passeio com as crianças dele ou um encontro para um almoço lhe ajude a suportar o luto.

A coisa mais reconfortante que alguém já me disse foi: "Minha vida era melhor porque sabia que podia contar com Eric".

Com informação do Reporter Herald, entre outras fontes, e foto de divulgação.





Cemitérios da França se adaptam à laicização da morte 
novembro de 2012

Posts mais compartilhados na semana

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...