Islamismo se torna principal causa do terrorismo global

Atentados religiosos lideram o terrorismo internacional
O extremismo religioso superou o extremismo nacional-separatista — como o do Ira e do rebeldes chechenos — e, desde 2001, se tornou a principal causa do terrorismo global.

O Índice Global de Terrorismo, edição de 2014, registrou 18.000 mortes em 2013, com aumento de 60% em relação ao ano anterior.

O índice é calculado pelo Institute for Economics & Peace, que contabiliza dados de 162 países, cobrindo 99,6% da população mundial.

Do total dos atos de terrorismo, 66% foram cometidos por grupos islâmicos: Estado Islâmico (Isis) no Iraque e Síria, Boko Haram na Nigéria, Taliban no Afeganistão e Al Qaeda.

Nesses países, com o acréscimo do Paquistão, ocorreram mais de 80% das mortes por terrorismo em 2013. As maiores vítimas também foram pessoas que seguem o Islã.

Cerca de 90% dos ataques terroristas se registraram em países que têm graves violações de direitos humanos.

Iraque é o mais afetado. Em 2013, houve no país 2.492 ataques, matando 6.362 pessoas.

Desde os atentados às torres gêmeas de Nova Iorque, em 11/09, o número de mortes por terrorismo aumentou cinco vezes.

Com informação do relatório do Índice Global de Terrorismo.





'Matem ateus do jeito que der', determina Estado Islâmico
setembro de 2014