sábado, 23 de agosto de 2014

Dawkins defende a 'lógica' de abortar feto com Down

Muita gente ficou
furiosa com resposta 
do biólogo
O biólogo evolucionista britânico Richard Dawkins escreveu em seu site que, de acordo com o seu desejo de que se aumentem as possibilidades de felicidade às pessoas, o que implica redução de sofrimento, ele é favorável ao aborto de feto com síndrome de Down. Trata-se assim, segundo entende, de uma decisão lógica, e não emocional. De qualquer maneira, ressaltou, essa decisão cabe obviamente à mulher grávida.

A explicação de Dawkins é uma resposta àqueles que o criticaram fortemente por ter sugerido a uma mulher, caso ela estivesse grávida de um feto com Down, que fizesse um aborto e tentasse ter outro filho. “Seria imoral trazê-lo ao mundo, se você tem a escolha [de ter nova gravidez]”, escreveu o biólogo no microblog, onde tem mais de um milhão de seguidores.

O biólogo disse que, em consequência de seu twitter, tornou-se alvo de “cães” que na internet o acusaram de ser vil, de ter ideias monstruosas e nazistas. Acrescentou que, em sua direção, foram arremessadas “bolas de fogo e de ódio”.

Mesmo assim, Dawkins lamentou não ter conseguido nos 140 toques do Twitter ser suficiente claro, magoando pais por conta de um mal-entendido. Dawkins pediu desculpas a essas pessoas que não entenderam estar ele se referindo no Twitter somente aos fetos, e não às crianças com Down. Além disso, para ele, houve pessoas que demonstraram "uma ânsia desenfreada por não compreender" a sua sugestão à mulher, no Twitter.

Na internet, em meio às críticas, houve quem defendesse Dawkins com a argumentação de que há grande diferença entre um feto e uma criança já nascida. O próprio biólogo lembrou, em seu site, que feto não possui sistema nervoso desenvolvido.

A DSA, associação que representa pais de portadores de Down, emitiu nota defendendo que a síndrome, por si só, não deveria ser motivo para a realização de um aborto, mas ressaltou que a decisão cabe a cada família, o que é a mesma avaliação feita pelo biólogo.

No Brasil, a mulher não pode abortar feto com Down, ao menos legalmente, porque esse tipo de procedimento ocorre com frequência em clínicas particulares. O aborto só é possível se a gestação oferece risco de morte à mãe ou quando se trata de consequência de estupro ou ainda, conforme decisão em 2012 do STF (Supremo Tribunal Federal), no caso de o bebê ser anencefálico.

Com informação das agências.





Peter Higgs acusa Dawkins de ser ateu fundamentalista
janeiro de 2013
Postar um comentário

Posts mais compartilhados na semana

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...