terça-feira, 29 de julho de 2014

Cérebro feminino obtém ganho de cognição, afirma estudo

Melhor condição de vida fez com que mulheres
superassem os homens em determinadas áreas
O poder de cognição do cérebro feminino aumentou nas últimas décadas, superando o do homem em relação à “memória episódica”, que é a capacidade de lembrar e descrever em detalhes experiências e fatos. Os homens continuam com mais habilidade em lidar com números, mas as mulheres, nesse quesito, reduziram drasticamente a desvantagem.

Essas conclusões são de um estudo feito com idosos de 13 países europeus e publicado em julho de 2014 na revista da Proceedings of National Academy of Sciences, nos Estados Unidos.

Em inteligência, as mulheres estão alcançando os homens em algumas áreas e superando-os em outras, disse Agneta Herlitz (foto abaixo), uma das autoras do estudo e psicóloga do Karolinska Institutet, na Suécia. Os demais pesquisadores são Daniela Weber, Vegard Skirbekk e Inga Freund.

Herlitz disse que os humanos, de maneira geral, ficam vão ficando mais “espertos” graças, em parte, à melhoria nas condições de saúde, de educação de vida melhor. “Mas as mulheres estão mostrando que as suas habilidades cognitivas estão aumentado até agora mais do as dos homens.”

A psicóloga afirmou que a cultura preconceituosa e sexista tem interferido no desempenho do cérebro feminino ao logo do tempo.

Disse, por exemplo, que, mesmo quando as mulheres têm as mesmas oportunidades de estudos dos homens (o que historicamente não ocorreu), elas enfrentam estereótipos negativos de professores, como o de que são incapazes de se sobressaírem em matemática. Estudo de 2012 publicado pela revista Gender & Society mostrou que isso não é verdade.

O estudo agora publicado analisou dados de 2006-2007 do Inquérito de Saúde, Envelhecimento e Aposentadoria referente a 31.000 homens e mulheres nascidos entre 1923 e 1957. Eles foram separados em um grupo dos mais velhos e outro dos mais jovens, para que as pesquisadores apurassem o que mudou entre uma geração e a outra.

Como parte do estudo, os pesquisadores testaram a memória episódica dos mais velhos pedindo-lhes para memorizar e lembrar-se de uma lista de dez palavras. Os participantes também tiveram um minuto para citar diferentes animais, tanto quanto foi possível nesse tempo.

Em relação à habilidade no manejo dos números, houve questões como esta: Um negociante de carro usado vendeu um veículo por US$ 6.000, o que corresponde a dois terços do mesmo modelo do carro novo. Quanto custa o novo? [A resposta é US$ 9.000].

Herlitz diz que estereótipos
prejudicam as mulheres
Em todos os países pesquisados, os mais jovens apresentaram melhores resultados do que o grupo dos mais velhos.

Herlitz falou que seu estudo não garante que as mulheres vão continuar daqui para frente avançando em relação aos homens no desenvolvimento da cognição.

David Geary, psicólogo evolucionista da Universidade do Missouri (EUA), reconheceu que a melhoria das condições de vida ajuda na cognição tanto em relação às mulheres como aos homens. Ressaltou que sempre haverá diferenças entre os sexos no processamento de informações, com as mulheres se saindo melhores em algumas áreas e os homens em outras, o que, segundo ele, faz parte da natureza humana.

Com informação da revista da Proceedings of National Academy of Sciences.





Religião atrofia o cérebro, revela estudo da Universidade Duke
maio de 2011


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...