Paulopes

Religião, ateísmo, teoria da evolução e astronomia

sexta-feira, 21 de março de 2014

Atos contra 'Jesus Superstar' são ridículos, afirma Verissimo

"Supus que até as mentes mais obscuras
pudessem se iluminar com o tempo"
Os protestos de religiosos contra a ópera-rock “Jesus Cristo Superstar” são ridículos, afirmou o cronista e escritor Luis Fernando Veríssimo (foto).

“Pensei que essa guerra já tivesse terminado, na ingênua suposição de que até as mentes mais obscuras, com o tempo, se iluminam — ou pelo menos se dão conta do seu ridículo”, escreveu ele em crônica que é publicada em vários jornais.

A peça está em cartaz em São Paulo desde o dia 14, no Teatro do Complexo Ohtake Cultural. Trata-se de uma reencenação do espetáculo da Broadway de Andrew Lloyd Webber e Tim Rice.

No dia de estreia, cerca de 40 católicos do Instituto Plínio Corrêa de Oliveira, Associação Devotos de Fátima, Associação Sagrado Coração de Jesus e Brasil Pela Vida protestaram defronte ao teatro. Gritaram palavras de ordem, tocaram gaita de fole e tambor e portavam cartazes e estandartes.

Desde então tem ocorrido protesto em todos os dias de apresentação da peça, sob a acusação de que se trata de uma falta de respeito para com Jesus, uma blasfêmia.

Veríssimo escreveu que a centenária ópera-rock de Andrew Lloyd Webber e de Tim Rice que relata os últimos dias de Jesus Cristo “deve ter motivado mais jovens a se interessar pela sua história do que qualquer catecismo de Igreja”.

“Quem se horroriza com a versão roqueira de Cristo ignora a tradição da arte renascentista de atualizar as cenas da Paixão, representando-as com roupas e interiores da época dos artistas, sem que isto fosse considerado blasfêmia e provocasse protestos.”

Ele lembrou o caso da proibição no Brasil pela Igreja Católica da exibição do Je vous salue, Marie, do Jean-Luc Godard, porque o filme mostrava os seios da Virgem Maria.

Ignorou-se assim, na época, segundo Verissimo, a tradição da arte religiosa das virgens lactantes, “que aparecem em várias pinturas com os seios à mostra amamentando o menino Jesus”.

“No filme, Godard humanizava a figura de Maria e trazia para atualidade, e para uma reflexão intelectual adulta, o mistério de dogmas como o da Anunciação e o da Concepção Imaculada”, escreveu. “Uma expressão da experiência religiosa muito mais consequente e inspiradora do que a retrógrada instrução das igrejas.”

A reencenação de “Jesus Superstar” é dirigida pelo católico Jorge Takla. Cristo é interpretado por Igor Rickli. O ator discorda das críticas (principalmente de religiosos) de que o seu Cristo é muito sexual.

“Nos anúncios da peça, estou sem camisa, mas trata-se de só um corpo, e isso é mais um tabu na cabeça de algumas pessoas", disse.

Rickli interpreta Jesus em seus últimos dias
Com informação de crônica de Verissimo, entre outras fontes.





Arcebispa sueca questiona concepção virginal de Jesus
novembro de 2013

Jesus Cristo


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...