Paulopes

Religião, ateísmo, ciência e astronomia

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Ateus e agnósticos fazem parte do 'tecido cultural', diz Obama

Ateus dizem que Obama nada fez
contra preconceito aos não crentes
No Dia da Liberdade Religiosa nos Estados Unidos, 16 de janeiro, o presidente Barack Obama (foto) referiu-se aos ateus e agnósticos, dizendo que eles também fazem parte do “tecido cultural” do país.

Ele fez as referências no seguinte contexto: “Hoje, a América abraça as pessoas de todas as crenças e de convicções não religiosas. Somos cristãos e judeus, muçulmanos e hindus, budistas e sikhs, ateus e agnósticos. Nossa diversidade religiosa enriquece nosso tecido cultural [...]. O que nos torna americano é a nossa adesão aos ideais compartilhados — a liberdade, a igualdade, a justiça, e nosso direito como um povo para definir o nosso próprio curso”.

O Dia da Liberdade Religiosa começou a ser comemorado na Virginia em 1786 por iniciativa de Thomas Jefferson, o terceiro presidente dos Estados Unidos (1801-1809) e desde sempre um defensor da separação entre o Estado e Igreja.

A primeira vez que Obama mencionou os não crentes foi no discurso de posse do seu primeiro mandato, em 2009. Disse: “Somos uma nação de cristãos e muçulmanos, judeus e hindus, e não crentes. Somos moldados por todas as línguas e culturas, trazidas de todos os confins da Terra”.

Na época, ateus americanos se entusiasmaram com a postura de Obama, mas logo ficaram decepcionados com o presidente porque praticamente ele nada fez para combater a discriminação aos não crentes e tampouco tomou alguma decisão para garantir de fato a laicidade do Estado, que está prevista na Constituição.

De lá para cá, Obama uma única vez afrontou os religiosos, mas foram os muçulmanos, que são minoria nos EUA, e não os cristãos.

Em 2012, o presidente descartou a possibilidade de censurar o vídeo “A Inocência dos Muçulmanos” porque a Constituição garante o direito de expressão. Em discurso na ONU, disse não apoiar a criação de uma lei da blasfêmia porque em seu país ninguém é punido por ofender os cristãos, que compõem a maioria da população.

Para o movimento ateísta americano, Obama tem falado pouco em defesa dos ateus — que, lá, são mais discriminados do que os negros e homossexuais — e, pior ainda, ele não tem feito nada nesse sentido.

Com informações das agências.





Votos dos não religiosos foram decisivos na reeleição de Obama
dezembro de 2012

Ateísmo


Postar um comentário

Posts mais compartilhados na semana

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...