Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Wyllys vai processar Feliciano por difamação em vídeo

Jean Wyllys
Wyllys afirmou que pastor faz
'campanha nojenta' contra ele
O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), na foto, vai dar entrada na Justiça a uma representação criminal contra o pastor e deputado Marco Feliciano (PSC-SP) por causa de um vídeo com ataques aos defensores dos homossexuais. 

O vídeo “Marco Feliciano Renuncia” de oito minutos (ver abaixo) foi postado na segunda-feira (18) por um assessor de Feliciano e rapidamente se espalhou pela rede social por dar a entender que o deputado tinha saído da presidência da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias, da Câmara.

Mas a “renúncia” do pastor, no caso, diz o vídeo em referência aos protestos contra o deputado, é à “privacidade” e às “noites de paz e sono tranquilo”, para cuidar dos direitos humanos. O vídeo termina com o pastor com cara de choro, colocando-se como vítima. Feliciano admitiu que o responsável pelo vídeo é um assessor seu, mas acrescentou que desconhecia o conteúdo.

Wyllys afirmou que o vídeo faz parte de uma “campanha nojenta”, com “frases mentirosas” atribuídas a ele  em relação aos cristãos, além da insinuação de que defende a pedofilia.

O deputado falou que a autoria do vídeo já está identificada, faltando, agora, saber quem atribuiu a ele críticas aos cristãos.  Falou que, se ficar provado que foi o pastor ou algum assessor dele, "vou entrar com outra representação criminal", disse.

Os deputados petistas Domingos Dutra (MA) e Erica Kokay (DF) também assinaram a representação contra Feliciano que estava prevista para ser protocolada hoje.

O vídeo da "renúncia" desagradou inclusive integrantes do PSC, aumentando, assim, as pressões do próprio partido de Feliciano para que ele renuncie. Na manhã de hoje, o líder do PSC na Câmara, deputado André Moura (SE), afirmou ao G1 que Feliciano estava analisando a possibilidade de renunciar, o que o pastor negou.

Moura disse que o partido não tem poder para destituir Feliciano da presidência da comissão.  “Regimentalmente, só cabe a ele tomar essa decisão”, disse.

Realizou-se hoje à tarde a segunda sessão da Comissão de Direitos Humanos desde que Feliciano foi eleito o seu presidente. Desta vez, a sessão foi em conjunto com a Comissão de Seguridade Social, para tratar dos direitos humanos dos portadores de transtornos mentais.

Feliciano chegou por volta das 2h30 amparado por seguranças e foi recebido por gritos “retrocesso não” de manifestantes. Oito minutos após o início da sessão, Feliciano passou a condução da pauta  para o deputado Henrique Afonso (PV-AC).

A sessão acabou 30 minutos depois, por falta de condições de continuidade.

Vídeo produzido pela assessoria de Feliciano 







Com informação da Agência Brasil, entre outras fontes.

Mulher não deve ter os direitos do homem, defende Feliciano
março de 2013
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...