Governo de Angola prende pastores da Igreja Universal

16 pessoas morreram na Vigília Dia do Fim 
A polícia de Angola prendeu pastores da Igreja Universal do Reino de Deus em várias regiões do país e mantém viatura diante de alguns templos para impedi-los de realizar cultos. A informação da prisão consta em uma nota oficial que a Igreja emitiu para dizer que respeita as leis do país. A igreja de Edir Macedo tem em Angola 230 templos e 430 pastores.

Na semana passada, o governo angolano anunciou a suspensão por 60 dias das atividades da Universal por considerá-la culpada pela morte de 16 fiéis na noite do 31 de dezembro, na “Vigília da Virada – Dia do Fim”. Mais de 150 mil fiéis compareceram a um estádio em Luanda cuja capacidade máxima é de 30.000 pessoas.

Para as autoridades, a Igreja atraiu muitas pessoas (incluindo crianças, idosos e doentes) por causa da “propaganda enganosa” de que quem participasse da vigília teria todos os seus problemas resolvidos, como “doenças, miséria, desemprego, feitiçaria, inveja, separação, dívidas, etc.”

A Universal diz na nota que têm colaborado “firmemente” com as autoridades para esclarecer “as causas do terrível episódio”, embora até agora não tenha sido notificada oficialmente sobre a suspensão de suas atividades.

Afirma que a igreja prestou “o apoio possível” aos feridos e aos familiares dos mortos e lamentou a prisão dos pastores — não diz quantos.

Informa que a igreja está tomando “as medidas cabíveis” para retomar suas atividades, certa de que Angola respeitará a liberdade de religião prevista na sua Constituição e na Declaração Universal dos Direitos Humanos.





Com informação da Igreja Universal.

Angola suspende Iurd por 60 dias por causa de morte de fiéis
fevereiro de 2013
36 comentários