Nos EUA, petição quer Icar designada como grupo de ódio

Petição foi criada no site do governo americano
Uma petição aberta no site da Casa Branca, no espaço destinado à manifestação pública, tem criado polêmica nos Estados Unidos.

No dia de Natal, a pessoa que se assina como Zach N Atlanta, começou ali, na seção We The People, a colher adesões para que a Igreja Católica seja considerada grupo de ódio, tendo como base as declarações do papa Bento 16 do dia 21 de dezembro segundo as quais o casamento gay representa uma ameaça à civilização ocidental.

A petição acusa o papa de usar uma "linguagem de ódio e afirmações discriminatórias", como se "as famílias gays constituíssem uma espécie sub-humana."

Para o autor da petição, as declarações de Bento 16 “se encaixa na definição de grupo de ódio”, de acordo com critérios de entidades de defesa da dignidade humana.

Até o começo da semana, havia 2.200 subscrições. Para o site da Casa Branca, somente petição com o mínimo 25.000 adesões são tida como relevantes.

Católicos conservadores reagiram à petição principalmente por estar em um site do governo.

No dia 4, a pessoa que se assina como "Patrick T" abriu no site outra petição exigindo que “os fanáticos” que estão endossando a iniciativa do  Zach N Atlanta sejam eles — e não a Igreja Católica — designados como grupo de ódio. Até o começo da semana, essa petição tinha conseguido menos de mil subscrições.



Os bispos fizeram forte campanha contra a reeleição de Barak Obama, e eles amargaram uma derrota dupla. Primeiro porque Obama conseguiu seu segundo mandato e, segundo, a maioria (52%) dos católicos votou no candidato, não seguindo, portanto, a orientação das lideranças da Igreja. 

Com informação da Religion News Service e do site da Casa Branca.

Vitória de Barack Obama impõe derrota à direita religiosa
novembro de 2012