Igreja Católica é covarde diante dos ativistas gays, diz Malafaia

Silas Malafaia
Malafaia levantou a possibilidade de a
maioria dos padres ser homossexual
Silas Malafaia (foto), 54, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, criticou os  padres por não criticarem abertamente o projeto de lei que criminaliza a homofobia, diferentemente do que ocorre com os pastores evangélicos.

Para o pastor, o que é há é uma “covardia” da Igreja Católica diante dos ativistas gays.

Em entrevista à Istoé desta semana, ele manifestou decepção com o fato de “uma instituição tão poderosa, com tanto acesso a mídia, como a Igreja Católica, se calar tanto.”

Uma explicação, segundo ele, para a “omissão” da Igreja Católica, nesse caso, é que “a maioria dos padres é homossexuais — e aí tem de ficar calada mesmo”.

Malafaia disse que os ativistas de gays querem calar quem não aceita a prática homossexual. “No Brasil, você pode criticar padre, pastor, jornalista, mas, se criticar gay, é ho-mo-fó-bi-co!”

Ele avisou que “o pau está cantando e não vai ter moleza” porque “os evangélicos estão decidindo eleição”. O que significa, segundo ele, que deputado ou senador que votar pela aprovação do projeto de lei da homofobia “vai dançar”.

O pastor informou que faz um ano que passou a ter segurança particular por causa de ameaças que vem recebendo por telefone e pela internet desde que decidiu enfrentar o ativismo gay.



“Eu não ligava no começo, mas uma vez, em um aeroporto, um sujeito quase me agrediu”, disse ele ao repórter Rodrigo Cardoso. 

“Eu nunca gostei de segurança, é horroroso. Mas precisei me precaver. Se vierem, vão encontrar quatro caras com muita disposição. Não vou tomar tapa de gay em aeroporto e nem em shopping, irmão, porque vai ficar ruim para mim!”

Com informação da Istoé.

Cristão não pode ter amizade com incrédulo, diz Malafaia
janeiro de 2013

Silas Malafaia

142 comentários