Evangelizadores querem tomar lugar dos pajés, diz antropólogo

Católicos e evangélicos
 disputam entre si quem
 mais influencia os índios
Evangelizadores católicos e evangélicos estão perseguindo os pajés de etnias do interior do Amazonas, na região do rio Solimões, com a intenção de substituí-los para impor aos índios a cultura cristã.

A denúncia é do antropólogo Ademir Ramos, coordenador do NCPAM (Núcleo de Cultura Política do Amazonas), que é uma entidade ligada à Universidade Federal do Amazonas.

Para ele, o que está ocorrendo nas aldeias da região é uma interferência de fora para dentro com o propósito de “matar” a cultura indígena, descaracterizando-a a partir da criação de outros chefes espirituais.

Ele falou que os religiosos disputam entre si quem exerce maior controle sobre os índios. “Há a demarcação, tendo de um lado os católicos e de outro os evangélicos”, disse em entrevista ao Portal Amazônia.

Missionários católicos e evangélicos contestaram a denúncia do antropólogo.

Francisco Loebens, do Cimi (Conselho Indigenista Missionário), Regional Norte 1, negou que a Igreja Católica esteja querendo acabar com a liderança dos pajés. Argumentou que o Cimi respeita a diversidade e que tem atuado para fortalecer a cultura indígena. “ Destruir ou agredir [essa cultura] afronta o Evangelho”, disse.

O pastor José Soares, da Omeam (Ordem dos Missionários Evangélicos do Amazonas), afirmou que a denúncia “não tem fundamento”, porque há respeito pela “crendice” dos índios e pelo direito deles de manifestação religiosas.

O que ocorre, falou, é uma “conversa” sobre algumas práticas espiritualistas dos índios e o que diz a Bíblia. “Quando mostramos a palavra de Deus, alguns [índios] acabam por entender o Evangelho”, afirmou.

Com informação do Portal Amazônia.





Acelera-se a conversão de índios a religiões evangélicas
julho de 2012


Comentários

  1. No Rio querem acabr com o museu do indio e no amazonas querem substituir os pajés por outros religiosos, parece uma conspiração para acabar com a cultura indigena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Casos distintos e com objetivos distintos relacionados por um comentário extremamente idiota...

      Excluir
    2. O fim do mundo Maia chegou pra eles;

      Excluir
    3. Muito bem colocado, casos distintos!
      Marcel, pense um pouco antes de comentar.

      Excluir
    4. Bando de FDP daqui a pouco fazem os indios doarem as terras pras igrejas deles!
      Sei que não tem como doar, ou tem?

      Excluir
  2. Isto é crime… e as autoridades deveriam intervir responsabilizando a mediocridade da crença por mais um homicídio cultural.
    O proselitista do embuste não está minimamente preocupado com os direitos e bem-estar de quem quer que seja. Ele apenas pretende impor a sua fé.

    «… há respeito pela “crendice” dos índios e pelo direito deles de manifestação religiosas.»

    Errado. O respeito por outras religiões ou pelos pontos de vista dos não crentes, não é uma atitude defendida por “Deus”.

    «“Quando mostramos a palavra de Deus, alguns [índios] acabam por entender o Evangelho”»

    Isto é duplicidade intelectual. É embuste.
    Se lhes ensinarem que tudo é a preto e branco, por mais que tenham cores á frente do nariz, recusam-se a vê-las.

    A autêntica liberdade do ser humano é permanecer não contaminado por superstições e crenças injustificadas que deformam a percepção da realidade.

    ResponderExcluir
  3. Isso se chama evolução. Culturas, assim como espécies, competem entre si. As mais aptas acabam por prevalecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos seguir seu raciocínio: se um grupo de bandidos armados entrar na sua casa e chacinar sua família, vai estar tudo certo, afinal, eles são mais aptos do que você!

      Mas certamente você não pensa assim, porque tem princípios éticos (a maioria deles, por sinal, influenciados pela evolução). O negócio é o seguinte: não distorça as coisas, aplicando uma versão ultrassimplificada a teoria da evolução ao plano cultural.

      Você está fazendo isso para afirmar um tipo de supremacismo cristão e justificar a violência simbólica contra outros povos.

      Excluir
    2. Caro Willian, isso daí que vc acaba de dizer se chama Darwinismo Social (isto vc estuda no Ensino Médio, aulas de História), que ajudou a justificar o imperialismo no século XIX e as teorias eugênicas do nazismo. Ou seja, isso que vc acabou de citar é uma absurdo contra os Direitos Humanos.

      Excluir
    3. Infelizmente as mais aptas são muitas vezes as mais daninhas a condição humana, é difícil avaliar o dano que estas novas crendices trarão. Temo que ocorra o mesmo que existe na africa em que pastores pentecostais acusam crianças de bruxaria e cobram para livrar do encosto levando a todo tipo de abandono e maus-tratos.

      Excluir
    4. [William Papp]
      Na mesma linha de raciocínio, o ateísmo é uma evolução do iluminismo, que é uma evolução da ignorância imposta pela igreja durante a idade das trevas.
      Desta forma, os evanjas devem abandonar seus dogmas, seitas e rituais de repetição, originários de uma colagem de mitos e ritos da era do bronze, e passar a seguir a razão.
      E vê se deixa de ser um evanja enrustido.

      Excluir
    5. Senhores, quando culturas diferentes são postas num mesmo ambiente uma influencia as outras e é influenciada por essas. A cultura indígena brasileira influenciou e continua influenciando a cultura europeia e a cultura europeia influenciou e continua influenciando a cultura indígena brasileira. Dentro dessas culturas existe o fator religioso. Podemos dizer isso de todas as culturas. Logo, minha assertiva “culturas, assim como espécies, competem entre si” está justificada. Qual cultura influenciará a outra de maneira mais efetiva, só o tempo dirá. Vários fatores entram nessa equação. Aquela que for mais aceita pela sociedade, ou seja, aquela que se adaptar melhor à sociedade vigente irá prevalecer. E isso justifica o trecho final de minha assertiva.

      Algumas considerações são necessárias.

      1ª – Eu disse que as culturas competem entre si. Não disse que a cultura cristã européia é melhor que a cultura indígena brasileira.

      2ª - Darwinismo Social envolve raças humanas. Acreditava-se que existiam raças humanas superiores e essas raças humanas superiores possuíam culturas superiores. Eu não acredito em raças humanas e, nem, em culturas superiores.

      3ª Prevalecer não significa ser melhor. Ser mais apto não significa ser melhor. Ser mais apto significa, apenas, ser mais apto. Melhor ou pior é uma outra coisa.

      Excluir
    6. Mas vc não pode citar as teorias evolucionistas para justificar dizimação de culturas (homem é o único animal que produz cultural, logo teorias evolucionistas são inadequdas ao ser humano), isso é darwinismo social, sim senhor, pode negar mas é sim. Quando os nazistas afirmavam em destruir a raça judaica, eles também queriam destruir a cultura judaica, já que:

      "Isso se chama evolução. Culturas, assim como espécies, competem entre si. As mais aptas acabam por prevalecer" (WILLIAN)

      Veja como isso se encaixa no darwinismo social que seviu de base para justificar a eugenia nazista. Sinto muito mas a sua teoria é muito infeliz, olha que eu estou sendo educado.


      Excluir
    7. é a lei do mais "forte". Nâo sejam hipócritas. Sempre foi assim e sempre vai ser assim. A história está repleta de exemplos.

      Excluir
    8. é a lei do mais "forte". Nâo sejam hipócritas. Sempre foi assim e sempre vai ser assim. A história está repleta de exemplos.

      [2]

      Excluir
    9. Gaydoidera, isto não é hipocrisia, é consciência social que vc deveria aprender nas aulas de História (Aliás na história não existe totalidade, logo o seu sempre é completamente errado). E são exemplos na História para não serem repetidos. Ou vc quer a volta do Holocausto ou extermínio indígena, já que este são exemplo de "lei dos mais fortes"??? Pense nisso...

      Excluir
    10. Isso não tem nenhuma relação com a eugenia ou com Darwinismo social, isso esta relacionado a memetica, da qual consiste em dar um tratamento evolutivo as ideias, termo cunhado por um Biólogo pop.
      Segue um vídeo do TED, em que podemos aprender oque é um meme:
      http://www.youtube.com/watch?v=o9Vs11goU6c

      As religiões geralmente são mescladas resultando em um sincretismo o próprio cristianismo é produto do sincretismo de crenças judaicas, quase tudo é plagio do judaísmo e do que veio antes. Provavelmente ocorrera o mesmo com a religiosidade dos povos indígenas pós catequização, gostaria de colocar o resultado da fusão da teologia da prosperidade com a realidade de alguns países africanos.(é forte)
      http://www.youtube.com/watch?v=miFrfTm-k3g
      Imagina qual vai ser o resultado humano disso tudo, os povos indígenas precisam aprender português, matemática, historia, geografia ter acesso a informação para que possam ter autonomia para escolher a sua própria religião e seu próprio meio de vida.

      Excluir
    11. Olhe só! Darwinismo social, o mesmo argumento usado por um sujeito com um bigodinho pouco antes da Segunda Guerra Mundial, conhecido por Hitler. O mais apto sobrevive, raça superior. Isso é uma escrotização da Teoria da Evolução ou apenas uma compreensão equivocada do processo evolutivo? Espero que seja a segunda opção.

      Excluir
    12. Amigo, se tem duas palavras que nunca deveriam se fundir é religião e evolução! Pois a religião é tudo menos uma evolução... Na verdade ela é o atraso do planeta, o fim do progresso, e o câncer que acabara com o mundo.

      Excluir
    13. Então talvez seja a etologia que é um outro absurdo da sociedade contemporãnea...

      Excluir
    14. Willian Papp

      «Senhores, quando culturas diferentes são postas num mesmo ambiente uma influencia as outras e é influenciada por essas.»

      Isto só acontece, como você diz, “num mesmo ambiente” com culturas civilizadas e não, como neste caso específico, com culturas “virgens”. Aqui, perante a ignorância e ingenuidade de um povo desconhecedor dos perigos da civilização, a dita influência tem outros nomes: fraude, engano, embuste, burla, mentira…

      Será o mesmo que, por analogia, aceitar a génese da pedofilia – a capacidade do adulto, através da sua experiência, ou capacidade física, convencer ou submeter a criança ou o adolescente aos seus interesses.

      «A cultura indígena brasileira influenciou e continua influenciando a cultura europeia e a cultura europeia influenciou e continua influenciando a cultura indígena brasileira.»

      Correndo o risco de me repetir, isto acontece num mundo civilizado com uma convivência intercultural com mais de 500 anos. O que não se aplica a este caso específico.

      «Logo, minha assertiva “culturas, assim como espécies, competem entre si” está justificada.»

      Isso é “erro de raciocínio”.

      «… competem entre si”…» Acha mesmo? Você acredita que ao nível de ciência o Afeganistão, a Etiópia ou o Mali podem competir com os Estados Unidos?

      Seu discurso é falacioso porque você apenas está interessado na defesa de delírios religiosos ou discursos de fé (chame o que quiser); aquele procedimento que se justifica como evangelização. A fé impede a liberdade de pensamento.

      «Aquela que for mais aceita pela sociedade, ou seja, aquela que se adaptar melhor à sociedade vigente irá prevalecer.»

      Esta é a cereja no topo do bolo. Mais um erro que revela sua empatia pela colonização ou homicídio cultural dum povo “recém-descoberto”.
      Como pode um principiante competir com um atleta de alta competição?
      Como pode um jogador das reservas sobrepor-se a um “Messi” ou jogador de topo?

      «Ser mais apto não significa ser melhor. Ser mais apto significa, apenas, ser mais apto.»

      Neste contexto “ser mais apto” significa ter mais hipóteses de sobreviver.

      Excluir
    15. Caro Caruê, talvez ele esteja mais relacionado com a etologia, que é outro absurdo da sociedade contemporânea. Porque este estudo abre um leque imenso para justificar as atrocidades humanas.

      Excluir
    16. só se estabelece a consciência social quando a poeira abaixa. É meramente parte do contrato social: visa interesses individuais para que a sobrevivência, a segurança e a economia coletivas possam permanecer.

      já em tempos de guerra e colonização (ou algo similar), o mais forte leva a melhor, para depois começar tudo de novo: a retomada da consciência social...

      o FATO é que somos espécie hipócrita e só temos consciência social quando alguma estrutura social já existe. Mas para se firmar essa estrutura é necessário que o mais forte tenha prevalecido contra algum mais fraco. Foi nos livros de História e na vida real que aprendi isso.

      "Triste, mas real." (Metallica)

      Excluir
    17. na verdade acho que é "triste, mas verdadeiro" ou algo assim.

      Excluir
    18. Caro Gaydoidera, mas vc acha que o tempo presente não é um tempo de guerra e colonização constante (observe nos jornais, Guerra Civil na Síria ou a rebelião no dos extremistas mulçumanos do Mali, que indiretamente é fruto da colonização francesa no século passado, são exemplos). E provavelmente vc distorceu a função dos livros de História, que não tem nada a ver com "lei dos mais forte e dos mais fraço", já que a História é um pensamento sobre o tempo passado e não um processo evolutivo (Aliás evolução na história é muito subjetiva, cada um pode analisar de formas diferentes, evolução ou decadência), porque isto seria um julgamento prévio do tempo e a história ficaria estática sem a sua dinâmica de interpretações que faz parte de sua beleza (por isso que estou me graduando em História). Hoje por exemplo, estudamos a memória do povo judeu que passou pelo Holocausto e observamos a sua força através da resistência em um tempo totalmente adverso, mas isto não quer dizer que seja um povo superior, já que cairia no mesmo discurso dos fascista. Quero dizer que não existe povo superior ou inferior, isso não só os historiadores concordam mas também sociólogos, antropólogos, filósofos...

      Agora sobre a sociedade e a hipocrisia, que em parte também concordo embora não seja tão pessimista, vc pode analisar a partir de sua cosmovisão, ai eu não me meto. E jamais se esqueça que o Homem é o único animal que produz cultura, logo teorias evolucionistas caem por terra.


      (ALLAN SANTANA)

      Excluir
    19. Agora se vc substituir fortes por vencedores e fracos por perdedores (que hoje estão reivindicando seus direitos, os gays, por exemplo) na História, ai faria um pouco mais de sentido a sua linha de pensamento. Embora eu ainda discorde sobre a questão da consciência social que vc levantou.

      Excluir
    20. os tempos de conflito são só um pano de fundo, é neles que se torna mais evidente essa característica humana. É um mecanismo humano. A consciência social só acontece depois que a estrutura do mais forte (do "mais") já está implantada. Por isso minha crítica à hipocrisia. Temos consciência social quando as coisas já estão assentadas, para em conflitos (ou similares) virarmos feras obstinadas.

      usando o exemplo dos indios mesmo: eles são minoria e estão enfraquecidos numa maioria que vive diferente deles. Caso o contrário fosse a realidade, estaríamos vivendo os costumes deles, ou no mínimo sendo pressionados por tal modo de vida. O "mais" predomina. À força ou automaticamente por meio da assimilação.

      justamente pela História ser o estudo do passado é que ela mostra o impulso (do mecanismo a que me referi) contido no indivíduo e nos grupos. E o quadro é esse.

      Excluir
    21. Gaydoidera, eu não vou repeti tudo aquilo que acabei de dizer. É evidente que vc é um pessimista em relação à humanidade, eu tb sou, mas não vou concordar com as atrocidades humanas simplesmente porque elas existiram e existem, principalmente em tempos conturbados, eu não vou naturalizar a história para concordar com as injustiças sociais ou genocídios. Por esta razão que eu acho fundamental a educação histórica no sentido de interiorizar a consciência social.

      "Temos consciência social quando as coisas já estão assentadas, para em conflitos (ou similares) virarmos feras obstinadas."

      Isto é etologia (estudo que transfere comportamento animal para os humanos e vice-versa, aparenta ser a volta do Darwinismo social em tempos modernos), que eu tenho total aversão. O Homem não pode ser comparado com os animais irracionais. Visto que nós temos leis, regras, consciência, ética e moral, que são atributos culturais fundamentais para a continuidade das sociedades democráticas e tolerantes.

      "usando o exemplo dos indios mesmo: eles são minoria e estão enfraquecidos numa maioria que vive diferente deles. Caso o contrário fosse a realidade, estaríamos vivendo os costumes deles, ou no minimo sendo pressionados por tal modo de vida. O "mais" predomina. À força ou automaticamente por meio da assimilação."

      Aí vc acaba cair e aceitar conceitos completamente autoritários de maioria sobrepondo minorias, os fascistas se baseavam nisso que vc acabou de citar. Por favor, não reforce estas teorias antidemocráticas.





      Excluir
    22. Em ciência nada é justificado, apenas explicado, alguém disse que o homem é o único animal que possue cultura, isso esta errado outros mamíferos possuem cultura, por exemplo grupos de macacos terão técnicas distintas de pegar cupim ou de quebrar castanhas, isso tudo é ensinado e não esta escrito no DNA.
      Como podemos explicar a ``evolução`` ou transformação cultural dos últimos 180 milhões de anos em que nossa especie permaneceu fisicamente estática. Apenas registrar Historicamente não é o bastante, precisamos de um mecanismo uma teoria. Como tudo que é novo encontra opositores e sobretudo pessoas que se opõem sem nem ao menos compreender do que se trata.
      Pessoas podem deturpar a memetica tornando há com algo parecido com o Darwinismo social, já fizeram isso com A Teoria da evolução e com o cristianismo, lembrando que a religião o nacionalismo e a pseudo-Ciência fundamentaram a doutrina nazista.
      Embora seja natural que um verme devore um ser humano por dentro isso não é desejável e nos intervimos quando possível com algum tratamento. Do mesmo modo não é desejável uma intervenção cultural de cunho evangelista que visa destruir toda a identidade cultural de um povo e substitui-la por algo duvidoso. Quem conhece as aldeias urbanas do Mato grosso do Sul em especial de Dourados vai chamar as favelas do Rio e de São Paulo primeiro mundo, a miséria é absurda nestes lugares e neles não faltam Igrejas, eles viviam muito melhor nas matas antes de ter contato com o homem branco.

      Excluir
    23. Eu sei que existe evolução biológio e genética, estou dizendo em relação ao comportamento e as relações humanas ao longo do tempo com característica que querem comparar com a evolução animal, isto que é um absurdo.

      "alguém disse que o homem é o único animal que possue cultura, isso esta errado outros mamíferos possuem cultura, por exemplo grupos de macacos terão técnicas distintas de pegar cupim ou de quebrar castanhas, isso tudo é ensinado e não esta escrito no DNA"

      Sinto muito mas isto não é cultura, já que eles não têm história, conciência, ética, leis, moral, eles falam ou produzem novos conhecimentos... vivem em um eterno ciclo (nasce, cresce, reproduz e morre) que são incapazes de sair.

      Excluir
    24. Etologia e memética (herdeiros do Darwinismo Social) duas padas contemporâneas que podem transformar o futuro da humanidade em um Show de Horror.

      Excluir
  4. Esses cristãos são ridículos, deveriam parar para pensar (se é que isso é possível) que estão destruindo uma cultura de milhares de anos que eles julgam como "crendice" sendo que o que eles pregam também não passa de uma crendice sem fundamentos.

    ResponderExcluir
  5. Cara,faz tempo que isso está acontecendo.Além do alcoolismo,da fome,dos suicídios e da FUNAI,nossos índios têm mais esse problemão:os cristãos!

    ResponderExcluir
  6. Religião é cultura pura, e cultura demais adoece o homem.
    Ei Paulo Lopes, o RR Soares acaba de ganhar um passaporte diplomático, escrava algo sobre este absurdo pq daqui a pouco até o fundamentalista do Malafaia vai querer ter (se é que ele já num tem).
    Será o início da teocracia brasileira?

    http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2013/01/16/itamaraty-concede-passaportes-diplomaticos-a-rr-soares-e-outro-lider-de-igreja-evangelica.htm

    ResponderExcluir
  7. Liberdade religiosa, só para eles mesmos, pros outros...NOJENTOS!

    ResponderExcluir
  8. os índios viveram muitos anos sem esta porcaria de cristianismo, na bíblia diz que adão e eva quando tomaram da árvore da ciência do bem e do mal eles descobriram que estavam nús, com os índios isto não aconteceu eles viviam nús , só começaram a se vestir depois que chegaram os puritanistas hipocritas dos cristãos.. Cara lideres cristãos são um nojo, o cristianismo uma porcaria sem limites, e quem os segue ídem.

    ResponderExcluir
  9. Willian Papp

    «Isso se chama evolução. Culturas, assim como espécies, competem entre si. As mais aptas acabam por prevalecer.»

    Errado… isso é mesmo homicídio cultural.

    Evolução é a variação das características na população e a selecção natural é apenas um dos mecanismos que as faz variar. O custo em energia e tempo para compreender esta matéria é muito mais elevado do que para compreender contos e fábulas da idade média, razão pela qual existe a crença injustificada.

    Como vê, não existe qualquer semelhança entre evolução e escravidão.

    Esses índios não necessitam de ser “humilhados” por uma qualquer doutrina, porque não necessitam de qualquer “deus”, muito menos um tão belicoso e sanguinário quanto o bíblico.

    ResponderExcluir
  10. "Crendices" dos índios?!!! E o que ele, pastor, professa? Não é crendice?! Ah, e eles não querem influir na cultura e religiosidade indígena, imagine... Só querem apresentar a eles o deus cristão. E, claro, falando que ele é o bom e o correto. Só não vão lembrar que a população indígena está reduzida hoje graças, em enorme parte, pelo cristianismo assassino do colonialismo.

    Ruggero

    ResponderExcluir
  11. Ora bolas quando mataram a "missionaria" dorothy ou sei lá como se escreve, mas tenho certeza que quase todos se lembram ,todos condenaram os brasileiros que na defesa do que era seu foram condenados; quem sabe o que tem na reserva Raposa terra do sol? A muito tempo índio deixou de ser índio, hoje todos ou quase todos tem celular, carro, e vendem tudo que o governo da a eles.

    Para os que não sabem o NIÓBIO, que existe em terra indígena já está sendo contrabandeado e o Brasil com hospitais e escolas no estado que estão. Mas o engraçado é a gente aqui no face com toda essa discussão que não vai dar em nada, somos um bando de pessoas que como quem hora espera que mude alguma coisa, HIPOCRISIA só isso ....

    ResponderExcluir
  12. Aqui na minha cidade os cristãos, principalmente os evangélicos, já fazem isso a tempos. Raramente se vê um índio adepto de sua religião tradicional graças ao proselitismo agressivo e hediondo deles. Essa intolerância em forma de "salvação" me parece um aspecto inerente do próprio cristianismo com aquele papo "só Jesus salva". Ou seja, o pior é que eles realmente acham estar fazendo algo de Bom, libertando a população indígena de "crendices" (provavelmente um eufemismo do pastor, que quer dizer seitas a serviço de satanás). O absurdo dessa situação já chegou ao ponto de alguns pastores pentecostais queimarem templos indígenas. Um verdadeiro genocídio cultural.

    ResponderExcluir
  13. "“ Destruir ou agredir [essa cultura] afronta o Evangelho”, disse."

    Esta foi a coisa mais hipócrita que eu já ouvi de um cristão.

    ResponderExcluir
  14. Sempre desconfiei que este "Willian Papp" era um crentelho enrustido.

    ResponderExcluir
  15. Como nos disse com propriedade e clareza, a cerca do neo-colonialismo, o ex-primeiro-ministro e ex-presidente do Quênia, Jomo Kenyatta; aquele que foi o fundador da nação queniana e da Federação Pan-Africana:

    "Quando os missionários chegaram, os africanos tinham a terra e os missionários tinham a Bíblia. Eles nos ensinaram a rezar de olhos fechados. Quando nós os abrimos, eles tinham a terra e nós tínhamos a Bíblia."

    Esse cruel e desumano instrumento ideológico de alienação, exploração e dominação; deve ser adequadamente desconstruído e extirpado da face da Terra.

    ResponderExcluir
  16. Bem que os indios poderiam ensinar sua religião aos evangelicos, em prol de um mundo mais pacifico.

    ResponderExcluir
  17. William papp tem razao em toda a historia a religiao da maioria acaba se sobresaindo , no meio indigena onde a miseria e a falta de instruçao sao grandes fica facil para os canalhas cristaos arrecadarem mais fieis e consequentemente mais alguns trocados para suas contas, e mais temos que parar de tratar os indios como cidadaos especiais e força-los a viver entre o resto da populaçao escola e trabalho nao mata ninguem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É assombroso como as pessoas distorcem a História. Concordar com o posicionamento do William Papp é jogar a História no lixo, e justificar as injustiças sociais e genocídios de vários povos ao longo do tempo.

      Excluir
  18. Enterrar criança viva, colocar na mata para os bichos comerem, isto deve ser lindo para o antropólogo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resumir a cultura indígena a isto que vc acaba de citar é típico dos fundamentalistas preconceituosos e intolerantes.

      Eu tb n concordo com este tipo de prática cultural, mas não acho correto este homicídio cultural proselitista que estão fazendo com os nossos silvícolas.

      Excluir
    2. Ô, raça, esses antropólogos! Isso é um perigo para o emprego deles, se os índios deixarem de ser índios, eles perdem o emprego. Eu detesto padres e pastores, mas temos de levar em consideração que eles têm o direito de pregar sua religião. E o índio tem o direito de aceitar a religião e deixar a sua religião original. Ele tem direito até de virar ateu. E não há nenhum problema nisso. Que se queira preservar cultura, entendo, mas que não seja à força. Deixe o índio escolher. Aliás, até o antropólogo pode escolher ser um índio e como eles viver, mas acho que ele não vai querer.

      Excluir
    3. Anônimo16 de janeiro de 2013 22:59

      Quais são as outras culturas, pescar, caçar?,construir tabas?, vender artesanato? índio que é internet, cultuar seus deuses? indio quer pick up hi lux, tv.

      vc acha que o secularismo os manteve até agora?

      Excluir
    4. Índio só quer preservar a sua própria identidade e suas memórias como um povo em constantes mutações, já os proselitistas querem destruir isso. Um povo sem identidade é um povo suicida, leia o clássico livro de Dee Brwon "Enterrem Meu Coração na Curva do Rio" e vc entenderá o que é a perda de identidade e cultura para estes povos.
      E sinto muito mas n compreendi a sua lógica com o secularismo, sinto muito mesmo.

      Excluir
    5. Caro Vinícius, eles não tem este direito não, já que os povos indígens são patrimônio cultural de nosso país, logo ele n pode ser destruido e modificado por outras visões de mundo. E eu entendo vc querer atribuir liberdade de escolha, mas no caso indígena seguindo a sua linha de raciocínio seria um genocídio cultural gradual, através da perda e identidade cultural. Em resumo, os antropólogos estão corretíssimos..

      Excluir
  19. vejo que crenças cristãs estão se tornando uma doença horrível e contagiosa, são os nazistas do seculo XXI espalham preconceitos, tentam mudar as pessoas e teentam mudar inclusive leis e cotidianos e oque incomoda a ele, eles dizem esta errado !

    ResponderExcluir
  20. Isso que o sr.Papp disse, foi darwinismo social,teoria em que os nazistas se basearam para o extermínio em longa escala,destruindo todas as culturas "inferiores" segundo eles,sempre desconfiei das boas "intenções" do sr. Papp,sempre na contra-mão da razão,ele deve estar batendo palmas para esta destruição cultural!
    Ora sr.Papp dá um tempo!!!

    ResponderExcluir
  21. Ainda assombrado com as palavras distorcidas desse Willian Papp, só me resta concluir que ele é o mesmo demônio que assola o Facebook do Sr. Paulo Lopes sob vários nomes falsos, dentre eles Patrícia Jude e Leandro Tierno.

    ResponderExcluir
  22. Concretamente temos que acabar com todo proselitismo, incluíndo aí o proselitismo político e ideológico Aliás, este mesmo "antropólogos" o faz quando opina sobre o que é melhor ou não para os indígenas. A postura de respeito tem que ser ativa. Não se trata de tolerar mas de reconhecer que o outro, com suas diferenças, é necessário.

    Lindomar Padilha

    ResponderExcluir
  23. E tem gente que apoia ainda esse tipo de atrocidade, para quem é a favor, vocês acham que esses evangelizadores iriam parar em lugares afastados a troco de nada? Só para proclamar a "palavra de deus" e ficarem na espera de que os índios, em seu incontestável livre arbítrio, decidissem acreditar nessa "palavra" ou não.
    Sabemos que não é assim que funciona. As várias vertentes do Cristianismo sempre utilizaram de artifícios manipuladores de cunho psicológico, argumentos falaciosos ameaçadores como, "o fogo eterno" ou "Só vive para sempre quem crê na palavra". Que tal o argumento capcioso de que "Crianças não batizadas depois que morrerem vão direto para o Limbo"? Sem falar que muitos povos indígenas não possuem nossa visão ocidental cristianizada da "nudez pecaminosa" e a falta de naturalidade em lidar com ela. Isso para mim é uma tentativa de extinção do pouco que resta de uma cultura que já está em decadência e visando, é claro, obediência e submissão desses povos a um determinado grupo, facilitando assim uma exploração futura desse povo que já tanto perdeu. Não se trata da "salvação da alma" do povo indígena como alguns religiosos pensam nunca se tratou e sim a exploração destes.

    ResponderExcluir
  24. E tem gente que apoia ainda esse tipo de atrocidade, para quem é a favor, vocês acham que esses evangelizadores iriam parar em lugares afastados a troco de nada? Só para proclamar a "palavra de deus" e ficarem na espera de que os índios, em seu incontestável livre arbítrio, decidissem acreditar nessa "palavra" ou não. Sabemos que não é assim que funciona. As várias vertentes do Cristianismo sempre utilizaram de artifícios manipuladores de cunho psicológico, argumentos falaciosos ameaçadores como, "o fogo eterno" ou "Só vive para sempre quem crê na palavra". Que tal o argumento capcioso de que "Crianças não batizadas depois que morrerem vão direto para o Limbo"? Sem falar que muitos povos indígenas não possuem nossa visão ocidental cristianizada da "nudez pecaminosa" e a falta de naturalidade em lidar com ela. Isso para mim é uma tentativa de extinção do pouco que resta de uma cultura que já está em decadência e visando, é claro, obediência e submissão desses povos a um determinado grupo, facilitando assim uma exploração futura desse povo que já tanto perdeu. Não se trata da "salvação da alma" do povo indígena como alguns religiosos pensam nunca se tratou e sim a exploração destes.

    ResponderExcluir

Postar um comentário