Hospitais de Estado austríaco suspendem circuncisão religiosa

circuncisão religiosa
A mutilação do pênis do bebê é uma tradição judaica e muçulmana 
Os hospitais do Estado austríaco de Vorarlberg suspenderam as cirurgias de circuncisão religiosa com base em decisão do Tribunal de Colônia (Alemanha) que considerou o procedimento como lesão corporal criminosa. A circuncisão faz parte da tradição judaica e muçulmana e significa a confirmação da aliança que os povos eleitos fizeram com Deus.

A reação de judeus e muçulmanos à decisão de Tribunal de Colônia foi tão incisiva, que levou o Parlamento alemão a aprovar às pressas uma resolução para garantir a legalização do ritual.

Antes da sentença judicial, países como a Holanda e Noruega já discutiam a elaboração de lei para proibir a  mutilação.

Na Noruega, a questão passou a ser discutida depois que uma criança morreu em decorrência das complicações de uma circuncisão mal feita. O Partido de Centro tomou a iniciativa de elaborar um projeto de lei para vetar a prática.

Recentemente, um hospital de crianças de Zurique (Suíça) suspendeu até melhor análise as cirurgias de circuncisão por entender que ele deve se pautar somente por critérios médicos, o que exclui os de caráter religioso.

Markus Wallner, governador de Vorarlberg, informou que concorda com os juízes de Colônia de que a garantia da integridade física e psicológica das crianças se sobrepõe à liberdade de culto. Ele informou que aguarda uma manifestação das autoridades jurídicas da Áustria e que, enquanto isso, os hospitais só farão circuncisões por motivo de saúde.

A decisão do governador não vale para o procedimento feito por rabinos em sinagogas.

Pela tradição judaica, o mohel (circuncidador oficial), após um corte em torno da cabeça do pênis do bebê, tira o prepúcio com a boca, cuspindo-o em seguida juntamente com o sangue da mutilação.

Atualmente, esse tipo de circuncisão só é realizado pelos fundamentalistas hassídicos, apesar “de sua natureza anti-higiência ou sua associações perturbadoras”, escreveu Cristopher Hitchens (1948-2011) no seu livro “Deus não é Grande – como a religião envenena tudo” (Ediouro, 304 págs, R$ 52).

Ele lembrou no livro que em 2005 um rabino de 57 anos de Nova Iorque transmitiu herpes genital a vários meninos, causando a morte de pelo menos dois deles. Pelo fato de a contaminação ter ocorrido em um ritual religioso, o rabino se livrou da Justiça.





Com informação das agências.

Alemanha cede às pressões e aprova circuncisão religiosa
julho de 2012

Comentários

  1. Em pleno seculo 21 ainda existir estas crendices eh uma vergonha para a humanidade.

    ResponderExcluir
  2. Que obsessão esses muçulmanos e judeus têm pelo prepúcio dos outros.

    ResponderExcluir
  3. É engraçado como este deus é intransigente e nunca se firma esta sempre mudando.

    ResponderExcluir
  4. Chega de sofrimento as crianças, que seja permanente a proibição. :!

    ResponderExcluir
  5. Somente médicos, paramédicos, enfermeiros, enfim, profissionais de saúde, podem cortar alguém sem que isso não seja considerado crime. E, obviamente, tal procedimento visa, sempre, fins médicos, o que significa dizer, a tentativa de se melhorar a saúde de alguém, quer seja física, psicológica ou mental.

    Obrigar um médico a proceder com procedimentos cirúrgicos que visam fins religiosos parece-me errado. A profissão de médico não deve se prestar a esses fins.

    Como, então, os judeus e muçulmanos devem proceder? Quem lhes prestará esse serviço senão um médico? Por isso eu pergunto: qual é o limite da prática religiosa?

    ResponderExcluir
  6. Não bastasse as penetrações forçadas a que estão sujeitos essas pobres crianças ainda tem de submeter-se religiosos cortarem seus pintos. Oh povinho sádico!

    ResponderExcluir
  7. Até quando permanecerá a ignorância de certos Judeus?

    "Porque há muitos desordenados, faladores, vãos e enganadores, principalmente os da circuncisão, Tito 1:10"

    "Porque não é judeu o que o é exteriormente, nem é circuncisão a que o é exteriormente na carne. Romanos 2:28"

    "Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura. Gálatas 6:15"

    Os hospitais estão corretos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não bastasse roubar-lhes o VT. Você ainda quer enfiar esse proselitismo cristão na goela do caras?

      Excluir
  8. lá vai o Fernandinho beira-mar da gibiblia

    ResponderExcluir
  9. "A circuncisão faz parte da tradição judaica e muçulmana e significa a confirmação da aliança que os povos eleitos fizeram com Deus."

    Deus gosta de pênis sem prepúcio.

    ResponderExcluir
  10. No final dos tempos, Deus vai selecionar seus escolhidos através de uma olhadela dentro das cauças de cada um.

    ResponderExcluir
  11. Práticas religiosas precisam de limites. Sem mais.

    ResponderExcluir
  12. Se quiserem cortar, por ser tradição, que seja uma decisão tomada pela própria pessoa quando adulta, não forçar crianças a passarem por isto.

    ResponderExcluir

Postar um comentário