Lei da Dinamarca obriga Igreja a celebrar casamento gay

Percentual de descrentes
na Dinamarca 
O Parlamento da Dinamarca aprovou hoje (7) a legalização do  casamento de homossexuais em templos da Igreja Evangélica Luterana, que é a religião oficial. Dos 111 deputados, 85 votaram a favor.

O governo tem um ministério para a religião, cujo titular é Manu Sareen, um agnóstico. Se o Estado dinamarquês fosse laico, ele não poderia se impor aos religiosos nessa questão.

A Igreja já tinha de aceitar a união gay, mas não estava obrigada a realizar um serviço religioso completo para sacramentá-la e o que havia era apenas uma benção. Pastores que discordam do casamento entre pessoas do mesmo sexo ficam dispensados de conduzir a cerimônia.

A nova lei entra em vigor no próximo dia 15. Na Islândia e Suécia já existe casamento no civil e religioso entre pessoas do mesmo sexo.

Em 1989, a Dinamarca foi o primeiro país do mundo a legalizar o casamento gay em cartório. Em 2009, reconheceu o direito dos homossexuais de adotarem crianças.

A Dinamarca tem cerca de 5,5 milhões de habitantes. Trata-se de uma monarquia constitucional. Embora não haja uma separação formal entre Estado e Igreja, o número de ateus no país é elevado.

O sociólogo americano Phil Zuckerman apurou em diferentes pesquisas que o percentual de descrentes varia de 43% a 80% da população. A variação é grande por causa da metodologia de cada uma das pesquisas. 

Comentários

  1. De fato, se lá o estado é laico, por que obrigar as igrejas a fazerem algo? Por mais que seja retrógrado e torpe o modo de agir dessas igrejas, não deve-se obrigá-las a fazerem algo que elas não querem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é laico não, vc leu a notícia?
      Parece que lá só é validado o casamento se for feito no religioso, daí como os gays tem direito de casar mas não existe uma cerimônia laica,ele tiveram que fazer essa lei.

      Vai ter muito retardado afirmando que o mesmo vai acontecer no Brasil, ditadura gayzista, bla bla bla etc, mas não, o Brasil se dispõe de maneiras laicas de celebrar o matrimônio, o casamento dos gays não será nas igrejas que se recusarem a fazê-lo.

      Excluir
    2. As igrejas evangélicas da Europa, em especial as igrejas protestantes históricas (luteranas, calvinistas/reformadas, anglicanas), não são iguais as igrejas do Brasil. Lá eles/as possuem outra compreensão a respeito de diversos temas polêmicos. Não se pode condená-las.

      É preciso conhecê-las melhor.

      Excluir
    3. Eu acho que esse pessoal que fala "ditadura gayzista" deveria voltar para o blog do Tio Rei, o mestre da meritocracia, que diz que o Thor Batista atropelou o ciclista porque mereceu ganhar uma Ferrari por não ter zerado a prova de química.

      Excluir
    4. A mãe não deve obrigar o filho a tomar banho?

      Excluir
    5. Sinceramente, ñ sei pra q o casamento religioso. O civil já basta (e economiza a grana do buffet =) )

      Excluir
    6. Perdão, falha minha! O estado lá não é laico, mesmo assim não deve-se impor isso as igrejas.

      Excluir
    7. A Dinamarca não é um estado laico. O Estado laico é o único que garante a liberdade religiosa. Logo na Dinamarca não existe liberdade religiosa. Essa conclusão é falsa? Se for correta, trata-se de Estado institucionalmente atrasado, embora a sociedade seja bastante liberal, pelo que consta.

      Excluir
    8. o cara baphomet ai em cima é ocultista descarado , esta imagem representa satanas e é tambem utilizado na cabala e na maçonaria

      Excluir
  2. Mas a Dinamarca NÃO É um país laico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o quê então?

      Excluir
    2. É uma monarquia que tem uma religião oficial:A luterana.Outras religiões não são oficiais por lá.O Brasil já foi um Estado católico e os protestantes defendiam o Estado laico(parece ironia,pois hoje o atacam)para que o Brasil não tivesse mais a religião católica como oficial,mas fosse neutro.

      Excluir
    3. Baseado no que vejo ateístas pregando o tempo todo, sempre achei que a Dinamarca fosse um "paraíso laico" na Terra.

      Vejam só, vivendo e aprendendo.

      Excluir
  3. ‎"Se o Estado dinamarquês fosse laico, ele não poderia se impor aos religiosos nessa questão."

    "Pastores que discordam do casamento entre pessoas do mesmo sexo ficam dispensados de conduzir a cerimônia."

    É bom enfatizar esses pontos

    ResponderExcluir
  4. Como pode um país onde a maior parte da população é irreligiosa e ainda continuar subordinado a uma religião estatal?

    Aliás, uma coisa está estranha nisso. De acordo com este site em dinamarquês (usei o Google Tradutor **rs**), 79,8 % da população em 2012 está afiliada à Igreja Evangélica Luterana (estatal). Tá, mas então como explicar se cerca de 43% (ou 80%) da população se diz irreligiosa? Os dinamarqueses estão na igreja apenas por motivos culturais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca fui à Europa, mas tenho amigos/as alemães. Eles/as falam que faz parte da tradição, e cultura, ser membros da igreja (estatal), neste caso a luterana.
      Os ofícios (batismos, casamentos e sepultamentos) são vistos como tradição.

      Faz parte da cultura.

      Excluir
  5. Na Suécia também não existe uma clareza a respeito da separação entre igreja (luterana) e Estado, na Dinamarca ocorre do mesmo jeito. Apesar da igreja se dizer separada do Estado, ainda assim há ligações.
    Até mesmo na Alemanha não houve a separação total entre igreja (luterana) e Estado.

    No Brasil quase ocorreu o primeiro casamento gay numa igreja luterana (Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - IECLB). Mas o casamento teve de ser cancelado 3 dias antes devido as inúmeras manifestações de grupos que deixariam a igreja, caso o casamento viesse a acontecer. Esse fato ocorreu no Rio de Janeiro. Mas há quem diga que inúmeros casamentos homossexuais já aconteceram nessa igreja brasileira, de forma discreta e secreta.
    O que impede algumas igrejas protestantes históricas (também falo da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil- IEAB) de aceitar tais casamentos é justamente o medo de perder inúmeros membros/as.

    Na Europa os casamentos de homossexuais não vistos como problema entre a maior parte dos membros dessa denominação. Mas há os que se opõem.

    Esta lei na Dinamarca, ao meu ver, é para acabar, de uma vez por todas, com o preconceito que ainda existe no luteranismo dinamarquês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edu,ocorre que na Alemanha o poder das igrejas ainda é muito forte.Além da luterana, tem a ICAR.O número de ateus e ou agnósticos é muito grande,entretanto a igreja ainda é muito forte.Nos países nórdicos parece que ela está meio combalida como na Holanda.

      Excluir
  6. Na Dinamarca, como sugere a reportagem, a Igreja Evangélica Luterana é uma igreja estatal, ou seja, financiada pelo Estado. Numa pesquisa da MetroXpress em 2007, 52% dos dinamarqueses apoiavam a separação entre Igreja e Estado, 30% eram contra a separação e 18% estavam indecisos.

    fonte: http://tinyurl.com/6ohvnbu

    Segundo lá consta, a socióloga dinamarquesa Margit Warburg afirmou: "Ela [a separação total entre Igreja e Estado] provavelmente não irá acontecer em breve. Falei uma vez com um casal. Eles responderam que, naturalmente, tiveram seu filho batizado, mesmo eles não sendo cristãos. Faziam simplesmente porque eram dinamarqueses. A Igreja está profundamente enraizada em muitos, embora não necessariamente acreditada".

    ResponderExcluir
  7. O ponto principal é a garantia de direitos aos homossexuais. Aqui, no Brasil, esses direitos foram alcançados através da permissão da união civil entre pessoas do mesmo sexo. Lá, na Dinamarca, levando-se em conta a particularidade do seu regime, foi através dessa lei aprovada pelo parlamento.

    Os métodos foram diferentes, mas o objetivo alcançado foi o mesmo: garantir direitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. J. Tadeu, na Suécia ocorre algo parecido, conforme informação deste link: Dos fiéis da Igreja da Suécia, 15% são ateus e 25% agnósticos.

      Excluir
    2. Penso assim: o Estado não pode impedir o casamento entre pessoas do mesmo sexo. E também não pode obrigar a religião realizar celebrações nessa hipótese, pois deixaria de ser laico. O Estado não deve estar institucionamente condicionado por nenhuma ideologia ou religião: para mim, salvo engano, é essa a essência do que seja Estado laico. Somente assim teria condições de garantir o pluralismo não apenas no interior do aparato estatal como, também, na sociedade.

      Não sou ingênuo. Sei muito bem que o estado é um campo de batalha de ideologias (Gramsci). Mas isso deve somente refletir o pluralismo existente na sociedade. É claro que a tendência que tiver maioria na sociedade, poderá ter maioria no Estado. Mas sem alterar o princípio. Isso é complicado, pois a tendência de todos é querer impor seu ponto de vista majoritário aos demais. Isso não deixa de ser legítimo.

      Mas, como disse: faz parte da luta ideológica. Enfim, sei que o que estou dizendo é complicado... mas o que fazer?

      Excluir
  8. A questão é: já vi muitos aqui no blog dizendo que a solução para os problemas é o fim das religiões, que elas só trazem desgraças, mas quando se deparam com uma noticia dessa, onde muitos aqui no blog têm a Dinamarca e outros países tidos como laicos sem a presença da igreja, como exemplo de estado sem a religião, o discurso muda e passa a ser de busca de direitos de minorias. Direitos esses de fundamentados na religião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PaulSimon, pessoalmente não entendi direito sua mensagem, mas a busca de direitos iguais para todos deve ocorrer em qualquer lugar e em qualquer circunstância, independente de o país ser laico ou não. Menos Bíblia e Alcorão e mais Declaração Universal dos Direitos Humanos, por um mundo melhor, esse deveria ser o lema.

      Excluir
  9. Na verdade o que se está fazendo é PERMITIR que homossexuais se casem na igreja. A frase "Pastores que discordam do casamento entre pessoas do mesmo sexo ficam dispensados de conduzir a cerimônia." já diz tudo. Ninguém está sendo obrigado a nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É impressionante como a formulação de um titulo pode alterar significativamente o conteúdo da notícia. De fato... a necessidade de separar Estado Laico e Igreja(s) já é suficientemente demonstrada pelo fato de, com uma religião oficial, o Estado poder interferir nos assuntos da Igreja. A palavra "obrigar", aqui, acaba enxertando uma inverdade no texto. Obrigado pela ressalva e pelo alerta, Asa.

      Excluir
    2. Toda lei "obriga" as pessoas a alguma coisa. Se não fosse assim, não haveria necessidade de se tê-la.

      Segundo o Aulete, uma das acepções de "lei" é "obrigações estabelecidas na convivência dos homens em qualquer sociedade e que servem para torná-la possível ou mais fácil, por estabelecerem um padrão de conduta: as leis do dever, da honra, da delicadeza." Significado de lei

      Em um Estado não laico, tanto a Igreja interfere no Estado como o Estado interfere na Igreja, como mostra este post.

      E esse é o motivo para que todos, incluindo os religiosos, sejam defensores da laicidade.

      Excluir
    3. Quem não defende o Estado laico é simplesmente fundamentalista: espera que o Estado endosse apenas a SUA religião em detrimento de todas as outras. Nunca vi ninguém no Brasil defender um Estado "multirreligioso" em oposição a um Estado laico. Só ouvimos imbecis dizendo que "os políticos têm que ler a Bíblia e governar com base nela".

      Excluir
    4. porquê, obrigatóriamente é ser um IMBECIL, o fato de alguem dizer que políticos devem ler a bíblia e fazer suas leis com base nela? será que é por está escrito algo que fere a alguem que quer impor forsosamente à natureza homo um procedimento anti-natural. conf. {ROM. 1. 18-28}.B.O. A.R.A.- SBB.

      Excluir
  10. Se o Pica-pau tivesse avisado a polícia, nada disso teria acontecido...

    Se s Dinamarca fosse um estado laico, idem...

    Charles

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que o se não acontece de verdade?

      Excluir
  11. As igrejas luteranas, na grande maioria delas, não considera a homossexualidade um pecado grave. Algumas fazem até cerimônia. Até onde eu entendi, a Igreja pertence ao Estado, então nada mais natural essa lei ser aprovada. E quem ficou de fora continua de fora, como no caso dos evangélicos.

    Basicamente, um dever se tornou uma obrigação.

    ResponderExcluir
  12. Cartório de Araçatuba faz 1º casamento homossexual

    Veja noticia no site do jornal www.folhadaregiao.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este blog deu que o primeiro casamento gay no civil ocorreu em 2011, em Jacareí (SP):
      Juiz converte união estável no primeiro casamento civil gay do país

      Excluir
    2. quero ver fazer casamento gay nas igrejas evangelicas do brasil essa eu tou pagando pra ver.

      Excluir
    3. paulo de tarso, se uma igreja for oficializada pelo Estado brasileiro (que a deusa Têmis nos livre disso!) e, portanto, for considerada como um "órgão público", financiada pela governo, e o Judiciário posteriormente aprovar uma lei que obrigue o casamento entre gays nessa igreja estatal, financiada pelo governo, significa que: se um casal gay quiser se casar nessa igreja (de novo, estatal, paga com nossos impostos) e esta se recusar, estará infringindo a lei.

      Entendeu?
      (a) Sim.
      (b) Não.
      (c) O que é essa tal de "Têmis"?

      Excluir
    4. Opa, onde se lê "o Judiciário posteriormente aprovar uma lei" leia-se "o Legislativo posteriormente aprovar uma lei", apesar de eu não ter certeza se tal lei seria competência deste poder.

      Excluir
    5. E quem disse que os homossexuais fazem questão de casar numa porcaria de um templo evangélico patético e inútil? Isso não garante direito nenhum Se toca, imbecil!

      Excluir
    6. Luan, não é da minha conta (e sendo advogado-do-diabo), mas acho que cê tá pegando pesado demais nos comentários. "Idiota", "babaca"... Enfim, prontofalei.

      Excluir
    7. É isso mesmo!
      Lava essa boca, Luan.

      Excluir
    8. Concordo com você J. Tadeu, algumas pessoas não sabem os limites da educação e respeito aos outros.

      Excluir
    9. Palavrões, assim como qualquer outra palavra, foram feitos para serem usados, porém usados com uma cutela maior, no entanto pessoas como "paulo de tarso" merecem cada adjetivo depreciativo, ou seja, concordo com o Luan quando usa tais adjetivos contra o paulo. Deve-se usar a educação apenas com quem merece.

      Excluir
    10. Não tenho mesmo educação, nem faço questão de ter, com trolls como o Paulo de Tarso. Só merece minha educação quem tem um mínimo de inteligência e racionalidade, o que não é o caso desse covarde que se esconde atrás de um pseudónimo e que só aparece aqui pra adubar esse blog com a boca dele.

      Pronto, falei. Quem não gosta, me desculpe. Sou assim.

      Excluir
    11. Luan, já lhe pedi algumas vezes, inclusive por e-mail, que não abusasse dos palavrões.

      Note: não sou contra o palavrão quando necessário, quando se trata de um desabafo ou interjeição. Sou contra o abuso, o excesso, a vulgaridade — tanto que tenho deletado quase todos os comentários de gente como o Paulo de Tarso.

      Mas você tem insistido no abuso, apesar de meus apelos. Então, meu caro, chegamos a um impasse: você diz que não tem mesmo educação, e eu continuo tentando elevar o nível do debate deste espaço.

      Você teria uma solução para esse impasse?

      Excluir
    12. Mas, Paulopes, não usei nenhum palavrão dessa vez! '-'

      Excluir
    13. Não seria bem uma solução, mas ajudaria muito se o senhor fizesse linha grossa com trollagens, principalmente vindo de anônimos e fakes como o Paulo de Tarso. Ele só vem aqui pra nos provocar, pregar e plantar discórdia, não diz nada de inteligente, e já estou de saco cheio dele. Aqui já virou um ninho de trolls, e isso frustra, pelo menos pra mim. O blog ficaria mais interessante apenas com comentários interessantes e relevantes.

      Excluir
    14. Luan, eu já tenho deletado a maioria das trollagens, embora às vezes me escapa alguma, porque são cerca de 400 mensagens por dia, e outras demoro para apagar porque não estou sempre online. Daqui para frente, vou deletar também os seus comentários que tenham palavrões. Você poderia me poupar desse trabalho, mas já está claro que não posso contar com sua colaboração. É isso.

      Excluir
    15. Ok. E eu vou tentar me policiar. Mas o senhor sabe que não tenho sangue de barata e acaba escapando alguns palavrões, mas não foi esse caso de agora.

      Excluir
    16. Paulo Lopes, sou leigo em montagem de sites/blogs, mas não há alguma ferramenta que delete automaticamente um comentário que contenha certos termos, ou que esconda algumas palavras sob a forma de asteriscos?

      Excluir
    17. J. Tadeu: o sistema Blogger não possui esse recurso. Talvez no futuro ele seja implementado. Assim, a alternativa que tenho é passar mediar os comentários antes de serem publicados, e não depois, como tenho feito. Mas não tenho tempo para isso. A outra solução seria fechar o espaço de comentário.

      Excluir
    18. Paulo Lopes, não permitir os comentários é, óbvio, drástico demais, pois (acho, não sei quantas mensagens são apagadas) o no. de trollagens talvez seja pouco comparado com os outros comentários, muitos, relevantes. Aí a questão é custo-benefício. Acho.

      Excluir
    19. Também acho, J. Tadeu. O problema é que nem sempre tenho tempo para ler todos os comentários. Se o volume de participação continuar a aumentar, talvez eu venha habilitar voluntários para cuidar da mediação. Vou dar mais um tempo.

      Excluir
    20. Caro Paulo Lopes,a Internet (de um modo geral)virou um show de baixarias generalizadas.Seu blog sempre foi referência por conta dos excelentes comentários.Entretanto,acredito que a sua tolerância com algumas pessoas que só entram no blog para atacar aos demais leitores tem afastado alguns excelentes comentaristas daqui.E é difícil encontrar algum lugar na Internet que não esteja repleto de trollagens,palavrões,expressões chulas e toda sorte de má educação,infelizmente,no entanto isso é uma realidade impossível de ser controlada.Confesso que algumas vezes não compreendo os critérios deste blog ao apagar alguns comentários até "inocentes" e permitir outros absurdamente desrespeitosos por outro lado. Teve um post sobre declarações homofóbicas do Malafaia em que um dos comentaristas trolls(um tal de abr) atacou a tudo e a todos de uma maneira totalmente desrespeitosa e o senhor não o advertiu nem apagou suas postagens carregadas de grosserias,palavrões,xingamentos,truculência etc.Nunca entendi aquilo.Sei que o blog é seu e é o senhor quem faz as regras,mas não compreendi sua tolerância com aquele troll.

      Excluir
    21. Anônimo das 23:31: concordo com você. O baixo nível de alguns comentaristas tem, de fato, espantado outros que gostariam de opinar com seriedade. Nesse sentido, tenho recebido algumas queixas por e-mail.

      Estou vendo como posso resolver esse problema -- que de resto se verifica em toda a internet, como você admite -- sem que o blog me exija mais tempo.

      Outra coisa: pode me chamar de "você", porque não sou "senhor" de nada, apesar da minha idade (como direi?) provecta...

      Excluir
    22. Paulo Lopes disse: "Você teria uma solução para esse impasse?"

      LFC, você de novo?!
      Eu sei que é da sua natureza querer chamar a atenção para si. Mas, veja que a atenção das pessoas e do deus do blog foi chamada contra você!

      Tome uma decisão, LFC. Faça como o José Geraldo Gouveia e a Senhora Crente: vá embora, antes de ser excluído.

      Ou será que você não tem vergonha na cara?

      Excluir
    23. Como não acredito no Diabo mesmo, seu comentário e nada é a mesma coisa.

      Excluir
    24. Solução para isso? Simples, comunicação via e-mail.

      Excluir
  13. Me parece claro e não sei por que tem gente que não entendeu. Se os pastores já estivessem realizando o casamento gay, não haveria a necessidade da lei. O Parlamento teve de elaborar a lei para obrigá-los a isso.

    ResponderExcluir
  14. Não conheço a legislação da Dinamarca, mas não é justo um Estado obrigar uma igreja que tem uma religião que não aceita o casamento entre pessoas do mesmo sexo. O valido para o Estado deveria ser o casamento civil que envolve direitos para ambos os casados e o que menos importaria seria o religioso. Por isso sou favorável que no Brasil pessoas do mesmo sexo se casem no Civil, pois são cidadãos que tem os mesmos direitos que pessoas de sexos diferentes que se casaram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raphael, como diz a reportagem e os comentários, a Igreja da Dinamarca é estatal, portanto não é como obrigar uma igreja dum país laico por exemplo, pois a Igreja lá faz parte do Estado. Claro que houve resistência de pastores, como é mostrado, mas se quisessem, poderiam requerer a desvinculação da Igreja com o Estado, aí seria outra coisa. Mas suspeito que tais pastores de lá preferiram manter a mamata governamental. Além disso, grande parte dos dinamarqueses são irreligiosos, o que talvez explique o fato de a lei ter sido controversa apenas com os membros episcopais.

      Isso me faz achar que a Dinamarca é bem mais laica na prática do que o Brasil...

      Excluir
  15. Só o estado laico salva!

    Charles

    ResponderExcluir
  16. A pergunta é: _Por que celebrar uma união assim, dentro das igrejas? Não vejo razão alguma para isso uma vez que: Deus não aprova este tipo de união; então..., francamente!
    _É questão de inteligência! As igrejas, professam uma fé cristã e o cristianismo não contempla tais práticas. Sendo assim, esta opção, está fora daquilo que prevê o cristianismo(me refiro às práticas e não às pessoas, propriamente ditas).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A pergunta na verdade é: por que, por que [batendo com a cabeça no teclado] há pessoas como a Salamandra? ("O brave new world, That has such people in't!")... Sorry, me recompus.

      Salita lagartitcha, primeiro, tecle ctrl F (localizar) no seu teclado e digite (o que está dentro das aspas, sem as aspas) "estatal", "religião oficial" ou "financiada pelo governo" e leia. Please!

      Segundo, por que Deus (monoteísta, judaico-cristão, nascido em ~600 a.C. no Oriente Médio) não aprovaria este tipo de união? "Porque tá na Bíblia, em alguns versículos". E como cê sabe que tais passagens são verdadeiras? "Porque a Bíblia diz que é verdadeira, é algo tão óbvio".

      ...

      Excluir
    2. Não é fácil dialogar com essas marionetes de deus, J. Tadeu. Estas tem seus pensamentos manipulados por deus [pronuncia-se: pastores malandros e livros arcaicos], ou seja, sempre virão com respostas prontas, e claro, tais respostas vindas do torpe, vil e presbiofrênico livro chamado bíblia.

      Excluir
    3. Escrevendo aos Romanos no Cap. 1. o apostolo Paulo, faz uma referencia direta a ira de DEUS. GR.{orgê} note o verso:18 e 28. respctivamente mesmo que isso lhe pareça perca de tempo

      Excluir
  17. Na Reversal Dinamarquesa religiosos organizam marcha pelo Estado laico! hauahuahau

    ResponderExcluir
  18. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.
    Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si;
    Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.
    Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
    E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
    Romanos 1:22 24 25 26 27

    O fim de tudo isso é um só e está escrito INFERNO ETERNO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voltou o cristãozinho com seu copia-e-cola sem-vergonha! Duvido que saiba o que é "concupiscências" sem olhar no dicionário.Maldito homem de um livro só!

      Charles

      Excluir
    2. * Lei da Dinamarca obriga Igreja a celebrar casamento gay *

      Depois ainda temos de ouvir "inocentes" jurando que o movimento gay não é autoritário, que não há nada de ditadura gay, que gays não querem atacar a liberdade religiosa, que tudo isso é "paranóia" e "teoria da conspiração" de religiosos fanáticos, etc.

      Excluir
    3. Querido Troll Ctrl+c Ctrl+v...

      mesmo?????????????

      vc precisa se aprofundar mais no estudo das escrituras...

      o primeiro trecho explica tudinho...

      "E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis"

      Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2012/06/lei-da-dinamarca-obriga-igreja-celebrar.html#ixzz1xdMvWBbq
      Paulopes informa que reprodução deste texto só poderá ser feita com o CRÉDITO e LINK da origem.

      (todos os creditos e ...)

      essa parte já explica tudinho, e faz referencia a idolatria (prostibulos religiosos da época...), e mudar curso natural...(se até nos animais a homossexualidade é uma coisa mais que natural).... mudar a natureza seria agir de forma contraria ao seu verdadeiro "eu" (homossexuais não tem botão on\off ok, eles não escolhem devido a paixões infames, é algo realmente natural deles e criado por Deus (pois apenas ele pode criar algo, seja bom ou mal, tudo ele criou... ok...)

      demonizar pessoas é o pior pecado que um cristão comete, pois ele usurpa a posição que é de Deus, ao julgar seu proximo e demonizar-lo ele comete blasfemia, e isso é bem pesado aos olhos do senhor...

      deixemos a hipocrisia de lado, pois até os eununcos cristo disse que quem pudesse aceitar aceitasse, e porq ele não fez nenhuma menção a esse assunto (homoafetividade\sexualidade)?, creio que pois para ele bondade, e amor é o que mais importa e não esses dircursos de ódio que tanto vejo aqui contra homossexuais...

      casamento nem tá na biblia como cerimonia de praxe, ou está?...

      no novo testamento Cristo apenas visitou um casamento, não celebrou nem oficializou (alias ele apenas fez um vinhozinho para a festividade, e nem teve menção nenhuma a respeito disso, será que errei ou na biblia tem falando de cerimonias de casamento? (salomão se teve que casar, foram umas 7oo cerimonias... será que ele decorava o nome das esposas no altar...

      zabraços com "z" mesmo... e não alimentem os trolls, eles crescem rapido e se multiplicam como os gremilins...srsrsr

      Gomes

      Excluir
  19. * Lei da Dinamarca obriga Igreja a celebrar casamento gay *

    Depois ainda temos de ouvir "inocentes" jurando que o movimento gay não é autoritário, que não há nada de ditadura gay, que gays não querem atacar a liberdade religiosa, que tudo isso é "paranóia" e "teoria da conspiração" de religiosos fanáticos, etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado anômino,

      Vc precisa conhecer melhor os países escandinavos. O nível de escolaridade e mentalidade é COMPLETAMENTE diferente dos nossos.

      É com o protestantismo que surge a ideia de liberdade de expressão e direitos humanos. Martinho Lutero, o Reformador do século XVI, já se preocupava com a correta interpretação bíblica. As igrejas de lá (não se pode esquecer da Alemanha e Europa em geral) se preocupam com isso: estudam a Bíblia e seu contexto histórico, e o que a mensagem quer nos dizer na atualidade. Para estudar a Bíblia também é necessário aprender Hebraico e Grego, pois a Bíblia foi escrita nestes idiomas, e os significados/compreensão das expressões são diferentes para aqueles povos antigos.
      As igrejas (luteranas, reformadas/calvinistas) exigem que seus estudantes de teologia aprendam, quase que fluente, os idiomas bíblicos (hebraico e grego), para melhor compreender o texto bíblico. Não é como no Brasil, em que as igrejas oferecem cursinho a distância e rápido.

      Não existe "cristianismo puro", por isso vemos que a interpretação bíblica do cristianismo mudou conforme a época: mulheres eram líderes de comunidades nos primeiros séculos do cristianismo, mas isso mudou após a institucionalização da igreja; negros eram tidos como pessoas sem alma; antigamente o corpo era visto como algo mal etc.

      Cuidado ao falar em "ditadura gay"! O que os gays querem é apenas os seus direitos perante o Estado, e nada mais que isso. Mas falando em ditadura, o que os evangélicos/as vem fazendo nos últimos tempos em nosso contexto brasileiro???? E o discurso do Silas Malacheia?????

      Excluir
  20. Gente,....
    olhem a solução...
    casamento civil o estado faz, casa no religioso quem quer...
    existem igrejas contra a celebração, mas se houver e existe as que são a favor (igreja metropolitana, na umbanda, ou na que vc mesmo abre com +- R$ 400, for example), a celebração aos olhos dessa igreja é valido...
    então a igrja que é contra não celebre, tem quem faça a cerimonia com a benção da entidade religiosa ou do sacerdote da mesma...

    "se vc é contra o casamento gay, não case com um gay, nem celebre uma cerimonia", simples, viram como cada um cuidando de sua vida o mundo fica mais feliz e menos sem nexo?..

    abraços a todos pelo espaço

    Gomes

    ResponderExcluir

Postar um comentário