No Egito, jovem cristão pega três anos de prisão por ofender Maomé

Massoud divulgou uma
animação de Maomé
Enquanto no Brasil cristãos conseguem convencer o Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) a vetar um anúncio do Red Bull protagonizado por Jesus, no Egito é um cristão de 17 anos que sofre punição sob a acusação de blasfêmia contra Maomé.

Gamal Abdo Massoud (foto) foi condenado a três anos de prisão por ter colocado no Facebook desenho animado do profeta.

Não foi a primeira condenação desse tipo. No ano passado, Ayman Yousef Mansour pegou três anos de prisão e de trabalho forçado por ter "insultado" Maomé na rede social.

No caso de Massoud, antes mesmo do julgamento ele e a sua família tiveram de sair às pressas de sua casa, que foi depredada pela população.

A maioria (90%) dos 81 milhões dos habitantes do Egito é formada por muçulmanos sunitas.

Com informação das agências.

Padre não deixa que evangélico seja enterrado em cemitério católico.
novembro de 2011

Religião contra religião.