Jornalista é condenado por dizer que político ‘tem fama de ateu’

Ricardo Coutinho, governador de Paraíba
Coutinho foi acusado de
ser "demolidor de igrejas"
A STJ (Superior Tribunal de Justiça) manteve a sentença que condena o jornalista Severino Marcos de Miranda Tavares e a Editora Jornal da Paraíba Ltda. a pagarem indenização por danos morais de R$ 5 mil a Ricardo Vieira Coutinho (foto), atual governador da Paraíba.

Na época em que Coutinho era prefeito de João Pessoa, Tavares, sob o título “O demolidor de igrejas”, escreveu que ele tinha “fama de ser ateu”, “pouco afeito às coisas espirituais”, e era por isso que estava demolindo templos da cidade.

Em primeira instância, na 16ª Vara Cível da Comarca de João Pessoa, o jornalista e o jornal tinham sido condenados a pagar indenização de R$ 60 mil. Esse valor foi reduzido a R$ 5 mil pelo TRJ (Tribunal Regional de Justiça).

Coutinho tentou no STJ a fixação de uma indenização maior com o argumento de que a editora é uma grande empresa e o jornalista está bem de vida porque mora em bairro nobre da cidade. O pedido, contudo, foi negado.

Nos tribunais, o jornal se defendeu com a alegação de que fez uma crítica “dura” e “contundente” a Coutinho e que ele, por ocupar um cargo público, deveria ser menos suscetível aos questionamentos.





Com informação do STJ.

Professor sugere república de ateus para conter intolerância religiosa
março de 2012

Ateísmo.

Comentários

  1. Ou seja, não há necessidade de usar vocábulos sujos ou de baixo calão, como "Filho-da-Puta", "Vai-Tomar-no-Cú", "Corno Safado", etc. Basta apenas falar que a pessoa é ateísta, e pronto, a maior ofensa de todas.

    Pois é, os ateus não estão com uma fama muito boa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lamentável essa notícia. Ela é uma prova de que os ateus precisam de espaço nas políticas públicas contra discriminação, assim como as mulheres, os gays e os negros. Na verdade, somos até mais discriminados, já que nos acovardamos e ficamos calados.

      Excluir
    2. Certíssimo o jornal:

      " Nos tribunais, o jornal se defendeu com a alegação de que fez uma crítica “dura” e “contundente” a Coutinho e que ele, por ocupar um cargo público, deveria ser menos suscetível aos questionamentos. "

      Político autoritário que não aguenta ser criticado e busca punir quem o contraria tem de procurar outra profissão.

      Pede pra sair!

      A democracia agradece.

      Excluir
    3. Ateu deveria ser um elogio, significa que a pessoa sabe utilizar a massa cinzenta localizada entre suas orelhas.

      Eu me ofendo quando alguém pede minha religião.

      Excluir
  2. Este jornalista deve saber tanto das pessoas que não tem crenças em divindades(ateus) quanto o datena.

    ResponderExcluir
  3. Tiveram esses comentários não só quando ele foi candidato a prefeito de João Pessoa, mas também quando ele foi candidato a governado da Paraíba.

    ResponderExcluir
  4. Na época da última campanha a oposição espalhou, com uso de helicópteros, panfletos que o "acusavam" de satanismo. Nestes haviam imagens de monumentos construídos em João Pessoa na época em que ele foi prefeito e boatos sobre serem atribuídos ao Diabo.

    Para mim, ele fez bem em entrar com o processo e pedido de indenização de R$ 60 mil. O dano moral, neste caso, foi difamação, não injúria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHA. Esses crentes acham que o satanismo é aquele diabinho com chifres e com um tridente na mão. Incrível onde a ignorância pode chegar. Nem se dão ao trabalho de pesquisar sobre, acreditam no padreco ou no bispo deles e pronto.

      Eu nem vou me preocupar muito com isso, to acostumada, quem quer sabe que o satanismo não é nada do que a igreja diz que é. Mas isso não vem ao caso.

      Também acho que ele fez mais do que certo em entrar com esse processo, tá na hora de muitos crentes fecharem a boca antes de caluniar e dizer o que não sabem das pessoas.

      Excluir
  5. Perai gente, se ele simplesmente chamou o politico de ateu então ele não fez qualquer ofensa, a não ser que a parte supostamente ofendida seja teista. Qual o problema ?

    ResponderExcluir
  6. Ele foi acusado de usar o cargo público para perseguir o antecessor por interesses pessoais. E o próprio jornalista reconhecia que 90 por cento do eleitorado dele acredita em Deus!!! Se isso não for ofensa e não for prejudicial ao político!!!!Até o ateu não gostará de ser intitulado perseguidor de quem crê em Deus!!!

    ResponderExcluir
  7. Já vi que chamar uma pessoa de ateu é ofensa pior que xingar a mãe do outro. Lamentável. A situação anda péssima para o nosso lado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei com pena de voce agora. Não fique triste, orgulho tem cura.

      "Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte; 1 Pedro 5:5"

      Excluir
    2. Claro, porque acreditar que você é um protegido de um super ser nem é orgulho.

      Excluir
  8. somos responsaveis por nossos atos, o prefeito se sentiu ofendido, procurou reparação, a justiça concedeu, ponto.
    nem adianta religiosos ficarem com raivinha, vão morrer numa graninha pra aprenderem a não sair escrevendo merda

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. O fato é: Ser ateu é pior do que ser bandido diante de Deus. Bandido se converte. Ateu permanece no erro e se torna burro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim e Albert Einstein foi um exemplo bem evidente de pessoa burra né seu animal?

      E outra, macaquinhos amestrados como vc usarem a palavra (fato) como único argumento bem tipico de ovelhinha, vai rezar vai trouxa!

      Excluir
  11. Anônimo (Mar 28, 2012 01:52 PM)

    >> "O fato é: Ser ateu é pior do que ser bandido diante de Deus. Bandido se converte. Ateu permanece no erro e se torna burro."

    Datena e sua herança nefasta. Me arrebata, Chessuis! hehehehe

    Sério: podemos ser ateus, mas pelo menos não usamos e abusamos da ingenuidade e fragilidade das pessoas pra conseguir dinheiro para comprarmos carros importados, jatinhos, fazendas, etc; e não somos cúmplices de padres pedófilos.

    Pra mim, religiosos (independentemente da religião que segue) que tiram vantagem das pessoas, que pregam a intolerância e incitam violência, que ferem e matam os outros, que acobertam crimes à torto e à direito são uns dos piores criminosos que há na face da terra. Eles ficam do ladinho de psicopatas e sociopatas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ateu é ateu, vai para o inferno. Bandido é bandido, vai para o inferno. Bandido Religioso é duas vezes bandido. Vai para o lugar mas quente e escuro do Inferno.

      Excluir
  12. Ateu é ateu, vai para o inferno. Bandido é bandido, vai para o inferno. Bandido Religioso é duas vezes bandido. Vai para o lugar mas quente e escuro do Inferno.(2)

    "Estes, porém, dizem mal do que não sabem; e, naquilo que naturalmente conhecem, como animais irracionais se corrompem.
    Ai deles! porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré.
    Estes são manchas em vossas festas de amor, banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas;
    Ondas impetuosas do mar, que escumam as suas mesmas abominações; estrelas errantes, para os quais está eternamente reservada a negrura das trevas.
    Judas 1:10-13"

    ResponderExcluir
  13. Ateu é discriminado até por minorias historicamente oprimidas. Uma vez tava jantando com um casal de lésbicas, e conversa vai, conversa vem, bebida vai, bebida vem, acabei falando que eu era ateísta. O clima na mesa mudou e uma delas soltou a pérola "não ter religião tudo bem, mas não acreditar em Deus, não... não se pode confiar em quem na acredita em Deus"... Engraçado né...

    ResponderExcluir
  14. Sou da Paraíba, e tenho Orgulho de ter eleito esse cara. Durante a campanha, a maioria dos ataques pessoais eram contra seus crenças, em vez de usarem argumentos políticos.

    ResponderExcluir
  15. Há uma correção a ser feita no texto. No Brasil, tendo em vista nossa organização judiciária, não há, como segunda instância, "Tribunal Regional de Justiça" (TRJ), mas sim "Tribunal de Justiça", no âmbito da justiça comum (estadual), "Tribunal Regional Federal" (TRF), no âmbito da Justiça Federal, "Tribunal Regional do Trabalho" (TRT), no âmbito da especializada Justiça do Trabalho, dentre outros.

    Sobre o mérito da matéria, é lamentável o adjetivo "ateu" se constituir socialmente como difamação, como se fôssemos pessoas enquadráveis nos execráveis conceitos do termo dados por famoso, falastrão e imbecil apresentador de programa policial no horário nobre em rede nacional.

    ResponderExcluir

Postar um comentário