Jornalista é condenado por dizer que político ‘tem fama de ateu’

Ricardo Coutinho, governador de Paraíba
Coutinho foi acusado de
ser "demolidor de igrejas"
A STJ (Superior Tribunal de Justiça) manteve a sentença que condena o jornalista Severino Marcos de Miranda Tavares e a Editora Jornal da Paraíba Ltda. a pagarem indenização por danos morais de R$ 5 mil a Ricardo Vieira Coutinho (foto), atual governador da Paraíba.

Na época em que Coutinho era prefeito de João Pessoa, Tavares, sob o título “O demolidor de igrejas”, escreveu que ele tinha “fama de ser ateu”, “pouco afeito às coisas espirituais”, e era por isso que estava demolindo templos da cidade.

Em primeira instância, na 16ª Vara Cível da Comarca de João Pessoa, o jornalista e o jornal tinham sido condenados a pagar indenização de R$ 60 mil. Esse valor foi reduzido a R$ 5 mil pelo TRJ (Tribunal Regional de Justiça).

Coutinho tentou no STJ a fixação de uma indenização maior com o argumento de que a editora é uma grande empresa e o jornalista está bem de vida porque mora em bairro nobre da cidade. O pedido, contudo, foi negado.

Nos tribunais, o jornal se defendeu com a alegação de que fez uma crítica “dura” e “contundente” a Coutinho e que ele, por ocupar um cargo público, deveria ser menos suscetível aos questionamentos.





Com informação do STJ.

Professor sugere república de ateus para conter intolerância religiosa
março de 2012

Ateísmo.