TRF legaliza a cobaia humana ao autorizar cirurgia experimental

Áureo diz que sua técnica não é experimental. O desembargador Daniel Paes Ribeiro, do TRF (Tribunal Regional Federal) da Primeira Instância de Goiás, autorizou o médico Áureo Ludovico de Paula (foto) a usar a técnica por ele desenvolvida de redução de estômago para emagrecimento e controle do diabetes.

A decisão do desembargador tem sido criticada por médicos e juristas porque, na prática, ela legaliza a cobaia humana ao permitir a realização de um procedimento tido por ele mesmo como experimental.

Áureo tinha sido proibido de tratar pacientes com sua técnica de cirurgia bariátrica pelo CFM (Conselho Federal de Medicina). O médico só poderia operar no caso de extrema necessidade, quando um paciente estiver entre a vida e a morte, e ainda assim com autorização do Cremego (Conselho Regional de Medicina de Goiás).

Agora, com a decisão de Ribeiro, o médico não mais precisará da chancela do Cremego. O paciente terá de assinar documento confirmando estar ciente dos riscos decorrentes de uma operação experimental. Toda a cirurgia terá de ser filmada.

Antônio Carlos de Almeida Castro, o advogado do médico, disse que Áureo poderá voltar a “operar imediatamente”.

Áureo tem sustentado que a sua técnica não é experimental. Mas o seu mais famoso paciente, o apresentador da TV Globo Fausto Silva, o Faustão, disse que se submeteu à técnica sabendo desde o começo que se tratava de uma experiência. O apresentador evitar fazer comentário para não influenciar ninguém a tomar uma decisão pelo procedimento.

O Ministério Público de Goiás acusou formalmente o médico à Justiça de ser o responsável pela morte de pelo menos sete pacientes.

Com informação do Último Segundo, do iG

Médico do Faustão é acusado pela morte de sete pacientes
janeiro de 2010

> Caso do cirurgião Áureo Ludovico de Paula.

> Erro médico?